Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Anitta é a atração do programa Segue o Som

Diva da nova geração fala sobre carreira e trajetória internacional

Fenômeno do funk-pop, a cantora Anitta embala o programa Segue o Som deste sábado (10), às 15h, na TV Brasil. A artista faz um balanço de sua meteórica carreira, recorda a infância pobre no Rio e fala sobre seu processo criativo. Durante a conversa com o apresentador Mariano Marovatto, ela dá uma canja de hits como "Bang" e "Deixa ele sofrer".

No papo, a cantora traça um panorama sobre sua trajetória para mostrar às pessoas que os sonhos podem ser concretizados. "É difícil, mas é possível. É um trabalho árduo. Eu sei o quanto me dediquei. Tudo o que conquisto não é porque tive sorte. E isso não é para me gabar. É para estimular. Você não precisa dizer 'Nunca vou sair daqui'. A oportunidade não vai cair do céu, mas você pode ir atrás".

Anitta lembra como ainda muito jovem, aos 17 anos, se sentiu dividida entre a carreira artística na música e a efetivação em uma empresa multinacional. "Estudei administração por três anos, passei no concurso de uma multinacional, fiquei um ano como estagiária e quando seria efetivada, no dia que ia assinar, desisti para ser cantora. Foi muito difícil tomar essa decisão", ressalta.

Ela recorda os desafios de cada etapa desse processo de amadurecimento pessoal. "Eu estudava muito porque queria mudar de vida. Hoje dou uma vida melhor para minha família inteira. Abri mão de muita coisa. Parei de viver: era música, estúdio, show, pedir para cantar em um local, pedir para ouvir minha música, para tocar meu CD".

Sobre seu processo de composição, Anitta revela que pode acontecer em qualquer momento ou local, de forma orgânica. "Escrevi 'Show das poderosas' no meu quarto rapidinho. O refrão, depois, levei uma semana para pensar", recorda a diva. "Já 'Na batida' fiz num quarto de hotel rápido também. A música 'Assim' escrevi na praia em 20 minutos. Vai muito da inspiração, quando surge a vontade", pontua.

Carreira internacional: singles e clipes

Com intenção de se promover no mercado internacional, a cantora Anitta lançou músicas com esse apelo em vários gêneros musicais com parceiros internacionais. A ideia de passar pelo pop, reggaeton e funk carioca era mostrar sua versatilidade.

No bate-papo do Segue o Som, ela conta Mariano que prefere lançar hits isoladamente como foi o caso em vez de produzir álbuns. "Na verdade eu não sou fã de fazer disco. Sou fã de fazer single e clipe. Disco eu faço porque a gravadora pede. Single e clipe é menos trabalhoso e mais divertido".

A relação de lançamentos desde julho do ano passado é extensa e começa com "Sua cara". O clipe da produção foi gravado no deserto do Saara com o grupo americano Major Lazer e Pablo Vittar.

Em seguida, em setembro, a diva liberou "Will I See You", canção produzida e escrita pelo produtor americano Poo Bear. No mês seguinte, Anitta divulgou a eletrônica "Is That for Me", uma parceria com o DJ sueco Alesso que teve clipe gravado a Amazônia.

Já em novembro, o single escolhido foi o reggaeton "Downtown", feito em conjunto com o cantor colombiano J Balvin. Foi o segundo produto da parceria que já havia rendido o remix da música "Ginza" no ano anterior.

Anitta terminou 2017 em alta. No mês de dezembro, a cantora estourou com o hit "Vai Malandra", funk carioca que teve participação de MC Zaac, Tropkillaz e do rapper americano Maejor. Em janeiro deste ano, ela lançou o single "Machika", terceira obra da parceria com J Balvin.

Anitta explica a proposta do álbum "Bang", em que quis passear por outros gêneros musicais sem ficar presa ao funk que a consagrou. "Disco é uma canseira, mas 'Bang' foi um trabalho incrível, feito aos poucos. Dessa vez foi natural, levamos um ano para fazer. Nem sentia que estávamos fazendo um disco", conta. A compositora revela ainda como surgiu a canção que dá título a esse projeto. "Primeiro veio a foto, depois a música e, então, o clipe".

Referências e preconceito estético relacionado ao funk

Anitta aproveita para defender o funk, considerado por alguns um gênero menor, de fácil criação. Ela explica que essa visão é muito fruto de um preconceito estético que o funk sofre por ser uma expressão da periferia.

"Eu amo o funk. Acho inteligentíssimo. É muito difícil fazer um funk que o povo goste. É uma batida que envolve e não deixa ninguém parado. É muito peculiar, diferente e precioso", enumera.

Por fim, Anitta fala de seu objetivo maior, que é passar pro seu público uma mensagem de autoafirmação e empoderamento. "Só eu sei o que a autoestima fez na minha vida. Ela tem o poder de mudar você", exemplifica.

A diva comenta também seu perfil transparente, fala que se posiciona por vezes de forma polêmica sobre questões como feminismo e que faz questão de se expor em suas vulnerabilidades e intimidade. "Eu gosto que meu público saiba a realidade", afirma Anitta que condena os rótulos.

Referências

No término da entrevista, a cantora também lista quem são algumas personalidades internacionais que a inspiram. Anitta cita Rihanna, "admiro quem tem coragem de assumir o que é e não se incomoda com o que o outro vai dizer"; Mariah Carey, "primeira cantora que ouvi na vida e que me ensinou a cantar, tenho todos do Cds dela" e Beyoncé "com seu perfeccionismo e as performances que ela movimenta".

Essa edição do Segue o Som ainda apresenta trechos de clipes das artistas citadas por Anitta e também a importância de nomes como Madonna e Bjork para o cenário de empoderamento feminino.

Sobre o Segue o Som

Sob comando dos músicos e pesquisadores Maurício Pacheco e Mariano Marovatto, o programa Segue o Som vai ao ar pela TV Brasil aos sábados, às 15h. A atração também é exibida aos domingos, às 14h, e na madrugada de sexta para sábado, à 0h45.

Produzida pela Giros, a quarta temporada reúne astros da cena musical como Fernanda Abreu, Ivan Lins, Dona Onete, Fernanda Takai e Biquini Cavadão, além de talentos da nova geração como o gaúcho Filipe Catto e os cariocas Filipe Ret e Monique Kessous.

O programa trabalha com uma linguagem hipertextual: mescla entrevistas, performances musicais e informações complementares sobrem os temas debatidos, além de abordar as tendências do universo da indústria fonográfica. Com um bate-papo intimista, a dupla de apresentadores investiga as relações entre os diferentes movimentos e gêneros musicais na perspectiva da cena artística global.

Serviço
Segue o Som – Anitta – sábado, dia 10/11, às 15h, na TV Brasil
Segue o Som – Anitta – domingo, dia 11/11, às 14h, na TV Brasil
Segue o Som – Anitta –  sexta-feira, dia 16/11, para sábado, dia 17/11, às 0h45, na TV Brasil

Da Gerência de Comunicação Institucional
Empresa Brasil de Comunicação - EBC
Contato: (21) 2117-6471 / (21) 2117-6239

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.

Criado em 08/11/2018 - 16:15 e atualizado em 08/11/2018 - 16:15

Ultimas

O que vem por aí