Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Suzana Amaral conta histórias do cinema

Aderbal Freire-Filho homenageia experiente roteirista e cineasta

Arte do Artista

No AR em 20/06/2017 - 21:30

O programa Arte do Artista traça um panorama sobre a carreira cinematógrafica da experiente diretora Suzana Amaral no papo inédito com Aderbal Freire-Filho nesta terça (20), às 21h30, na TV Brasil. Aos 85 anos, a cineasta reflete sobre o fazer cinematográfico, comenta as dificuldades para produzir um filme no país e os desafios que vivenciou para conciliar a carreira com a vida pessoal.

"Eu tenho muita muitas ideias, vontade de fazer filmes. Sou muito batalhadora e vou até o fim. Poderia fazer um por ano. Projetos não me faltam", lamenta sobre os obstáculos financeiros para se conseguir realizar uma produção audiovisual no Brasil. "Eu dizia, vou morrer no set", brinca.

 

Suzana Amaral: "Eu tenho muita muitas ideias, vontade de fazer filmes. Sou muito batalhadora e vou até o fim."
Aderbal Freire-Filho fala sobre as adaptações literárias de Suzana, por Divulgação

A também roteirista recorda sua ida para os Estados Unidos, aborda o interesse pelo cinema alemão e indiano e destaca obras de grandes autores brasileiros. "Pretendo filmar 'O caso morel' do Rubem Fonseca", afirma a convidada sobre a iniciativa de retomada do projeto de levar o romance para as telonas.

Suzana Amaral explica como faz a adapção das obras literárias. "Eu me apodero da literatura para transformá-la em uma obra cinematográfica. É a minha reinvenção", declara a cineasta.

"Sou fiel ao espírito do livro. Procuro apreender a essência da obra através da minha visão. É uma transmutação do livro em filme", comenta Suzana sobre os longas que fez a partir de publicações como o premiado drama "A Hora da Estrela" (1985), inspirada no título homônimo de Clarice Lispector. O longa integra a relação dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Suzana Amaral conversa com Aderbal Freire-Filho
Suzana Amaral conversa com Aderbal Freire-Filho - Divulgação

 

A experiente diretora e roteirista explica sua visão sobre a sétima arte. "Cinema é realidade. E eu sou fiel a minha realidade. Sou fruto dela. A verdade só é verdade quandio encarada de uma maneira série e condizente com a realidade. Busco contribuir da maneira mais fiel possível a essa realidade que sou obrigada a retratar e reencontrar nesse caminho de fazer um roteiro e transformar tudo isso em imagem", ensina.

A cineasta também comenta sua relação com os atores. "Não delego isso para ninguém. Isso é um dos maiores ciúmes que tenho. A equipe não pode nem falar com os atores no set", destaca Suzana Amaral que completa o raciocínio.

"Os atores são a porcelana do set. Eu preciso deles tranquilos e preservados. A emoção deles é uma coisa que fabrica na hora, não é decorada. Eles precisam ter um encontro com eles mesmos para vomitar a verdade", analisa a diretora. "Ator é comigo. Ninguém bota a mão. Faz parte do meu ofício", enfatiza.

Apresentação: Aderbal Freire-Filho
Direção: Fernando Philbert
Produção artística: Sérgio Cardia
Produção: Jefferson Mendes, Bruno Souza e Ingrid Gassert
Roteiro: Simplicio Neto
Edição: Daniele Vallejo

Gerência Executiva de Crossmedia: Lauro Mesquita
Coordenação Crossmedia: Daniel Roviriego
Produção e Criação Crossmedia: Carolina Spork, Davi de Castro e Júlia da Matta

Serviço:
Arte do Artista – terça (20), às 21h30, na TV Brasil

Criado em 15/06/2017 - 12:25

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí