Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Ricardo Vilas anuncia "novas surpresas" para o Bossa Sempre Nova

O músico e compositor Ricardo Vilas, diretor musical e gerente da Direção de Programação e Conteúdo da EBC - Empresa Brasil de Comunicação, comemora o lançamento do Especial Bossa Sempre Nova, na TV Brasil, no dia 13 de setembro passado. Além de supervisionar o programa Projeto Pixinguinha, que já está no ar na emissora pública (de segunda à sexta, às 20 horas), está preparando outras surpresas que vêem por aí, no Bossa Sempre Nova.

Segundo Ricardo Vilas, haverá quatro programas especiais sobre Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Baden Powell e Nara Leão. , os precursores da Bossa Nova, além de outros dois dedicados aos atuais bossanovistas como o compositor e violonista Yamandu Costa, as cantoras Kay Lyra e Carol Saboya, o grupo Bossa Cuca Nova, dentre outros da nova geração.

Esse ritmo brasileiro, que influenciou a música em todo o mundo e identifica a nossa cultura ainda emociona, e continua inspirando músicos brasileiros e estrangeiros. Para Ricardo Vilas, "a bossa nova transcende o gênero, sendo acima de tudo uma forma de interpretar. A Bossa Nova vive", finaliza.

Com mais de 40 anos de carreira musical, o carioca Vilas, juntamente com os músicos Mauricio Maestro, David Tygel e Zé Rodrix, fez parte do Momento Quatro (1967). O grupo musical conviveu e atuou com os grandes nomes da MPB, como Nara Leão, Milton Nascimento e o próprio Edu Lobo, até o início de 1969.

Ativista contra a ditadura militar, foi preso em maio de 69, e banido do país, sendo um dos 15 prisioneiros políticos trocados pelo Embaixador americano Charles Elbrick, em setembro do mesmo ano. Exilado em Paris, formou dupla com Teca Calazans e levou aos festivais, teatros e cafés-concerto da França, a diversidade de gêneros e ritmos brasileiros.

Com a anistia, voltou ao país, fez a direção musical de programas da TV Globo como Sitio do Pica-pau Amarelo e O Globo de Ouro, além de compor vinhetas, aberturas e trilhas sonoras para programas e novelas da emissora como "Roque Santeiro" e "Selva de Pedra". Voltou a residir na França, em 1990, e dividiu sua carreira entre os dois países até assumir, em março de 2008, a direção musical da TV Brasil.

Hoje, Ricardo Vilas, além do seu trabalho na emissora pública, conta, em sua premiada carreira de músico, cantor, compositor e violonista, com uma discografia de 24 títulos, que teve lançamentos quase simultâneos no Brasil e na França. Seu mais recente trabalho, "Meu Caro Amigo", foi lançado na França em 2005, pela Socadisc Europe e, em 2006, no Brasil, pela Rob Digital.




Criado em 22/09/2008 - 11:34 e atualizado em 22/09/2008 - 11:34

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí