Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Planeta Tela

Edição discute e reflete sobre a importância do cinema ambiental

Caminhos da Reportagem

No AR em 07/12/2017 - 22:00

Esta edição do Caminhos da Reportagem traz filmes e vídeos que têm a natureza como protagonista. O programa discute como o cinema ambiental e a produção audiovisual podem ser importantes ferramentas de conscientização sobre as questões ambientais e de transformação e engajamento das pessoas. Para o jornalista André Trigueiro, especialista em meio ambiente, “o cinema tem magia, o audiovisual mexe nas fibras mais íntimas da gente, não é só no estado racional” e esse cinema, mesmo não conquistando o circuito comercial, é “espetacular, genial e inspirador”.

Gilmar Galache é videomaker, designer e um dos fundadores da Ascuri - Associação Cultural dos Realizadores Indígenas
Gilmar Galache é videomaker, designer e um dos fundadores da Ascuri - Associação Cultural dos Realizadores Indígenas - Divulgação

Nossa equipe esteve no Fica – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, que acontece há 19 anos na Cidade de Goiás e se consolidou como o maior festival com essa temática na América Latina. Lá, conversamos com diretores, produtores, atores e público sobre a importância do cinema ambiental, bem como os desafios para o setor audiovisual. A atriz Dira Paes, homenageada no festival, ressaltou o papel dessa produção enquanto denúncia das mazelas ambientais. “Quando a gente fala de ambiente a gente vai além do nosso próprio quintal e tem que pensar num todo e no que está acontecendo no mundo de bom e o que está acontecendo de ruim, degradante e extremamente triste”, afirma.

Ademilson Concianza, o Kiki, é ator e videomaker
Ademilson Concianza, o Kiki, é ator e videomaker - Divulgação

No festival, encontramos os produtores indígenas Gilmar Galache, da etnia Terena, e Ademilson Concianza, da etnia Kaoiwá, que também é ator. Eles fazem parte da Ascuri – Associação Cultural dos Realizadores Indígenas, e contam como utilizam o audiovisual para a preservação da cultura, troca de saberes e idiomas, além  de denúncia. Eles também falam sobre a forma indígena de produzir vídeos: “Todo mundo sabe fazer um pouco e sempre a gente busca a assinatura do filme como uma direção coletiva da Ascuri, porque não é do nosso jeito de ser carregar essa individualidade”, explica Gilmar.

O programa também ouviu cineastas, como o indigenista Vincent Carelli, que criou, nos anos 1980, o projeto Vídeo nas Aldeias, de formação de cineastas indígenas; e João Amorim, produtor do Manual de Sobrevivência para o Século 21, série que discute sustentabilidade, e representante da Sésamo, programa infantil exibido pela TV Brasil, que também discute questões ambientais. Também conversamos com a WWF-Brasil, que utiliza vídeos para engajar os usuários nas redes sociais e visitamos um cineclube de Brasília que, a partir desses conteúdos ambientais, promove debates e troca de conhecimento com produtores rurais.

Público em sessão do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, na Cidade de Goiás
Público em sessão do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, na Cidade de Goiás - Divulgação

Ficha técnica

Reportagem: Anna Karina de Carvalho 
Imagens: Márcio Andrade 
Auxílio técnico: Wesley Cerqueira Braga
Produção: Beatriz Abreu
Roteiro: Ana Maria Passos
Edição de texto: Francislene de Paula
Edição de imagem e finalização: Henrique Correa e Richard Gomes  

Ultimas

O que vem por aí