Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Catadores de Sonhos

Edição aborda o impacto do fechamento do lixão da Estrutual, no DF

Caminhos da Reportagem

No AR em 01/03/2018 - 21:45

O lixão da Estrutural, localizado a apenas 15 quilômetros da região central de Brasília (DF), foi fechado em 20 de janeiro de 2018. Considerado o segundo maior lixão do mundo, ficando atrás somente da Indonésia, durante 60 anos foi a única fonte de renda para milhares de famílias.

O Caminhos da Reportagem acompanhou os últimos meses de funcionamento do lixão até o dia do seu fechamento. Nossa equipe conversou com representantes do Governo do Distrito Federal (GDF) para conhecer o novo destino do lixo de todo o DF e para saber como ficará a situação dos mais de dois mil catadores que dependem do trabalho de coleta de resíduos para sobreviver. 

Lixão da Estrutural, localizado a 15 quilômetros da região central de Brasília
Lixão da Estrutural, localizado a 15 quilômetros da região central de Brasília - Divulgação

Ouvimos a opinião dos catadores, que precisaram deixar o trabalho no lixão e migrar para a triagem de resíduos nos galpões de coleta seletiva alugados pelo GDF. A maioria dos trabalhadores reclama da falta de resíduos recicláveis, o que resulta na queda da renda obtida com o serviço. Alguns, inclusive, contam que parte do material reciclável que poderia ser reaproveitado está sendo enterrado junto de todo o lixo orgânico no aterro sanitário de Samambaia (DF). 

O programa mostra também os perigos do lixão para o meio ambiente, principalmente por ficar dentro de uma área de proteção ambiental, e os riscos para a saúde dos catadores e de toda a população devido à contaminação da água e por causa da geração de gases tóxicos provocada pela decomposição do lixo.

Deivid Santos Ribeiro, jogador de futebol, ao lado da sua mãe, a catadora Suênia Evaristo dos Santos
Deivid Santos Ribeiro, jogador de futebol, ao lado da sua mãe, a catadora Suênia Evaristo dos Santos - Divulgação

Vamos conhecer ainda a Associação Viver, que garante aulas de reforço, esportes e artes aos filhos de catadores, e o projeto Reciclando Sons, que oferece aulas de canto e de instrumentos musicais à população da Cidade Estrutural. Vamos mostrar também a iniciativa do educador físico Alessandro Gomes, o “Seco”. Preocupado com a situação de crianças e adolescentes, ele fundou uma escolinha de futebol para a formação de jovens atletas. Foi por meio dessa escolinha que Deivid Santos Ribeiro, de 14 anos, filho da catadora Suênia dos Santos, foi contratado pelo Ituano Futebol Clube.

Ficha técnica: 

Reportagem: Flavia Peixoto
Produção: Naitê Almeida
Apoio à produção: Ana Graziela Aguiar, Beatriz Abreu e Thaís Antonio
Imagens: André Rodrigo Pacheco, Rogerio Verçoza e Sigmar Gonçalves
Apoio às imagens: José Carlos Soares e Paulo Matos
Auxílio técnico: Edivan Viana e Dailton Matos
Apoio ao auxílio técnico: Hugo Montenegro e Rafael Calado
Edição de texto: Suzana Guimarães
Edição de imagens e finalização: Henrique Corrêa
Apoio à edição de imagens: Richard Gomes
Arte: Rodrigo Ximenes e André Maciel 
 

Ultimas

O que vem por aí