Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

A hora da chegada – como nascem os bebês no Brasil?

Caminhos da Reportagem investiga o alto número de cesarianas

Caminhos da Reportagem

No AR em 23/05/2014 - 01:00

O Brasil é campeão mundial de cesarianas. Em alguns hospitais particulares, esses índices chegam a quase 100% dos partos. Será que as mulheres estão perdendo a capacidade de dar à luz? Ou será que as cesarianas dão mais lucro?

Uma em cada quatro mulheres no Brasil sofre algum tipo de violência na hora do parto. São impedidas de terem um acompanhante de sua escolha, impedidas de beber água, de caminhar, de ingerir alimentos. Mulheres são abandonadas nos corredores, sendo vistas e tocadas por dezenas de profissionais, tratadas de maneira desrespeitosa. Isso é violência obstétrica.

O Caminhos da Reportagem mostra a história de mulheres que, com prazer ou com dor, viveram a experiência do parto. E ouve relatos positivos e transformadores.

Seja em casa, no hospital, em centros de parto normal, com médicos, enfermeiras, parteiras, há diversas formas de se ter um filho. Há quem deseje uma cesárea por medo de sofrer. Há quem seja surpreendida por um filho prematuro. E a algumas mulheres optam pelo parto em casa. Não há regra quando o assunto é parto.

O recém-nascido recebe o carinho dos pais após o partoA equipe de reportagem entrevistou mães que preferiram o parto domiciliar. Elas relatam as razões que as levaram a esse tipo de experiência e quais os riscos e contraindicações envolvidos.

Várias doulas – mulheres que dão suporte físico e emocional às gestantes em trabalho de parto – explicam   como seu trabalho contribui para a redução das cesáreas e diminuição dos pedidos de anestesia.

O programa mostra como funcionam casas de parto e o hospital público Sofia Feldman, em Belo Horizonte, que é referência no tratamento humanizado e na assistência às gestantes.

Este episódio do Caminhos da Reportagem mereceu Menção Honrosa no Prêmio Nacional de Jornalismo sobre Violência de Gênero, oferecido pela Casa da Mulher Catarina e pela Rede Feminista de Saúde.

 




Produção: Débora Brito, Luana Ibelli
Reportagem e Edição de Texto: Marieta Cazarré
Arte: André Maciel e Carlos Almeida
Edição de Imagens: Davi Nascimento, Thyago Castro
Finalização: Hugo Carmelo
Imagens: André Rodrigo, Mauro Zambrotti, Fábio Damasceno, Valdeci Leocádio
Auxiliares: Thyago Brandão, Alexandre Souza, Edivan Viana, Lucas Gomes, Rodrigo Costa

 

Ultimas

O que vem por aí