Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Atrás do batuque negro

Qual a influência do negro na maior festa do planeta? Caminhos da

Caminhos da Reportagem

No AR em 03/03/2017 - 05:15

Maracatu Rei de Paus mantém a tradição cearense de pintar o rosto para brincar.
Tia Maria do Jongo, considerada a matriarca deste ritmo no carnaval carioca.Tambores, atabaques e cabaças: instrumentos de origem africana que ditam o ritmo de várias manifestações culturais, ainda mais fortes durante o carnaval. A festa, que teve início nas elites europeias, ganhou forma a partir da abolição dos escravos. Ritmos como o jongo, o entrudo – precursor do samba – e outras tradições, quase sempre de cunho religioso, começam a se difundir entre os brancos.

O programa mostra os ritmos que embalam os carnavais do BrasA cantora baiana Margareth Menezes é uma das precursoras do Afro Reggae.il, como o jongo do Rio de Janeiro e o tambor de sopapo, no Rio Grande do Sul. E tenta responder ainda a uma grande dúvida que permanece entre os amantes do samba: afinal, o ritmo nasceu na Bahia ou no Rio de Janeiro? Já o maracatu não é forte apenas em Pernambuco, mas também no Ceará. E o carnaval do Maranhão tem não só o tambor de crioula, mas o balanço do reggae.

Artistas, fundadores de blocos e especialistas analisam o legado africano para o carnaval brasileiro, que já foi marginalizado, mas é hoje a maior reunião de ritmos e manifestações culturais do planeta.

Para a cantora baiana Margareth Menezes, o carnaval é motivo de orgulho por suas raízes. “A gente hoje tem coragem de enfrentar o preconceito, especialmente no caso da mulher afro-brasileira. Agora, estão começando a surgir alguns Em 2007, o Tambor de Crioula maranhense foi considerado Patrimônio Cultural do Brasil.elementos de valorização, uma imagem mais positiva”, afirma.

Reportagem: Carlos Molinari e Manuela Castro
Produção: Débora Brito e Beatriz Abreu
Imagens: Sigmar Gonçalves e André Rodrigo Pacheco
Auxiliares: Daílton de Matos, Edivan Viana
Arte: Antônio Trindade
Edição de texto: Ana Grazilela Aguiar e Anna Karina de Carvalho
Edição de imagens e finalização: Márcio Stuckert

 

 




Ultimas

O que vem por aí