Nostra Terra Brasilis

As aventuras dos imigrantes italianos no Brasil do séc. XIX.

Integrantes do Grupo Girotondo brindam os 140 anos da imigração italiana.
Descendentes vivem como os primeiros imigrantes no sul do país.Eles vieram em busca da “cocanha” – fartura –, fugindo da fome e da falta de trabalho na Itália de 1875. Deixaram os vários “países”  – cidades italianas – para enfrentar a dureza da vida no campo no Sul do Brasil, onde eram proibidos de falar o dialeto vêneto, a língua italiana do nordeste da Itália.

O Caminhos da Reportagem encontrou descendentes no Rio Grande do Sul que ainda vivem como os antepassados: produzindo vinhos, peças em cobre, alimentando-se de polenta e cantando músicas no dialeto de origem.

Em São Paulo, a imigração italiana se dividiu entre as lavouras de café e a indústria. Muitos sindicalistas, que vieram do partido anarquista italiano, tiveram que ir para o interior de São Paulo para sobreviver com o trabalho nos cafezais.

Bem diferente dos italianos que desbravaram o Sul do país ou tiveram que plantar café e criar galinhas no interior paulista, os imigrantes que chegaram na década de 40 vieram atrás de um A Casa de Vidro, feita na década de 50 pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi.país moderno. Um país que construía Brasília, o edifício Itália e, com Lina e Pietro Bo Bardi, passaria a ter um modelo que até hoje é fonte de pesquisa arquitetônica: a casa de vidro.

Roteiro e direção: Bianca Vasconcellos
Reportagem: Aline Beckstein e Sarah Quines
Produção: Aline Beckstein, Eduardo Goulart de Andrade, Luana Ibelli e Thaís Rosa
Estagiários de produção: Monique Amorim e Pamela Santos
Imagem: João Marcos Barboza
Auxílio técnico: Eduardo Domingues
Apoio à imagem e produção: Caio do Carmo, Rafael de Carvalho
Edição de imagens e finalização: Jéssica Saccól e Rodger Kenzo