Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Especial sobre o teatro de resistência

Homenagem a Gianfrancesco Guarnieri, Augusto Boal e Plinio Marcos

Conexão Roberto D’Avila

No AR em 24/02/2014 - 01:00

Jornalista lembra ícones da dramaturgia nacionalO programa desta semana recorda grandes nomes da dramaturgia nacional. A atração da emissora pública resgata entrevistas com três dos maiores autores teatrais brasileiros: os saudosos Gianfrancesco Guarnieri, Augusto Boal e Plinio Marcos. Eles foram  vozes que defenderam a resistência cultural no Brasil durante a ditadura militar. Suas trincheiras foram os palcos brasileiros e a força de seus textos.

O encontro entre Gianfrancesco Guarnieri e o jornalista Roberto D'Avila aconteceu no palco do Teatro do Centro Cultural São Paulo. O renomado ator e dramaturgo falou sobre sua vida e obra, recordou as dificuldades para lidar com a censura e destacou a força da cultura – principalmente o teatro – na defesa da liberdade de expressão.

Paris foi o ponto de encontro do jornalista com Plinio Marcos. O autor estava na Cidade Luz para receber um prêmio pelo conjunto de sua obra. Em um café no Champs Elysées, o jornalista e o teatrólogo conversaram sobre a dura caminhada de Plínio e de seu “teatro maldito” em que se destacam textos como “Dois perdidos numa noite suja”, “Barrela” e “Navalha na carne”. Com o humor cáustico que lhe era peculiar, o autor contou suas histórias e os percalços de sua rica e atribulada carreira.

Augusto Boal nos deixou em maio de 2009. A sua herança cultural para o teatro brasileiro foi das mais ricas. Boal foi o criador do “teatro do invisível” e do “teatro do absurdo”, iniciativas reconhecidas em todo mundo como formas de denunciar a opressão do homem comum pelo totalitarismo. A conversa entre Roberto D'Avila e Augusto Boal foi no Rio de Janeiro onde eles discutiram as criações do autor e relembraram uma entrevista da época do exílio quando o mestre do teatro morava em Paris.

No papo com o jornalista, Boal também destacou uma canção que Chico Buarque e Francis Hime fizeram para ele e ressaltou a importância do teatro como forma de resistência.




Criado em 20/02/2014 - 17:59 e atualizado em 28/02/2014 - 17:31

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí