Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Museu Socioambiental de Itaipu

Local oferece contato com a natureza e educação ambiental

Conhecendo Museus

No AR em 26/03/2016 - 06:27

Fachada do Museu Socioambiental de ItaipuRodeado por uma natureza espetacular, o Museu Socioambiental de Itaipu (MUSAI) funciona nas ruínas do antigo Recolhimento de Mulheres de Santa Teresa, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Esta é a atração do Conhecendo Museus desta semana.

O museu fica próximo ao Parque Estadual da Serra da Tiririca, ao lado da colônia de pescadores e em frente a uma das praias mais visitadas da Região Oceânica de Niterói. Até 2010, o local era chamado de Museu de Arqueologia de Itaipu.

Criado em 22 de março de 1977, o museu contempla a coleção de Hildo de Mello Ribeiro, um morador da área e fiscal de pesca que tinha por hábito colecionar artefatos arqueológicos. Ele era considerado um amador por não utilizar métodos científicos ao coletar vestígios dos povos sambaquieiros que habitaram a região. Formada por 980 peças, a coleção não é reconhecida como científica devido à forma como foi composta.

Por volta de 1979, o antigo MAI recebeu os Blocos-Testemunhos retirados da pesquisa de salvamento de Camboinhas. A ação pretendia “salvar” os sítios arqueológicos da região durante os projetos de urbanização ocorridos em Itaipu naquele período. Houve também a doação de uma canoa de jequitibá, que não era mais utilizada na pesca, mas servia como cocho para o tingimento de redes.

A parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF) rendeu ao MUSAI um projeto de ação educativa, que se tornou a atividade de alcance mais eficaz do museu junto ao público, em especial com as escolas. O Projeto Caniço & Samburá, que recebeu esse nome em homenagem à Colônia de Pescadores de Itaipu, consiste em um acervo itinerante para empréstimo às escolas do município de Niterói e adjacências. O principal objetivo é subsidiar os professores com material didático a ser trabalhado em sala de aula. Este material prepara a visita ao museu e aborda temas como patrimônio cultural e arqueologia.

Este episódio Conhecendo Museus guarda uma surpresa para o telespectador: a descoberta recente de um fóssil e a explicação sobre como ocorre o processo de datamento do material encontrado. Está imperdível!

O Conhecendo Museus já teve 15 documentários produzidos em sua primeira temporada, todos entre Minas, São Paulo e Rio de Janeiro. Agora, são 52 episódios de 26 minutos cada, com produção assinada pelo Instituto Brasieliro de Museus (Ibram/MinC), Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), TV Escola (MEC) e Fundação José de Paiva Netto.





Criado em 25/09/2012 - 12:55 e atualizado em 13/01/2014 - 15:39

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Ultimas

O que vem por aí