Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Bibi Ferreira, a dama do teatro brasileiro

“Eu sou uma estrela que anda pelo céu”, diz em entrevista a Roseann

Conversa com Roseann Kennedy

No AR em 19/06/2017 - 21:30

Com 95 anos de idade e 76 de carreira, Bibi Ferreira, uma das maiores vozes do Brasil, revela uma disposição fora do comum quando sobe aos palcos. Bibi, musa do teatro no país, promove uma verdadeira sintonia entre o palco e a plateia e mostra grande versatilidade em seus espetáculos. Na conversa com Roseann Kennedy, a atriz conta dos segredos de sua longevidade, de seus sucessos e dos amigos de vida e carreira que viraram sua verdadeira família.

Cantando em quatro idiomas, inglês, francês, português e espanhol, Bibi interpreta com perfeição grandes sucessos de Amália Rodrigues, Carlos Gardel, Frank Sinatra e Edith Piaf. Em relação a escolha de seu repertório, ela diz que o público vem sempre em primeiro lugar e justifica: “Eu nunca penso no que eu quero, no que eu gosto... Eu tenho que pensar sempre em relação à plateia. A plateia é a que gosta, a que quer, a que deseja”.

Bibi Ferreira, uma das maiores vozes do Brasil
Bibi Ferreira, uma das maiores vozes do Brasil - Divulgação/TV Brasil

Com uma energia de dar inveja a qualquer um, Bibi conta que toma pequenos cuidados para preservar a vitalidade. “Manter a voz é uma questão de saúde, de respeito à saúde e de se comportar devidamente. Não falar muito alto, não tomar muito álcool, dormir o máximo que puder... Então é importante que você guarde tudo isso para quando você estiver no palco”.

A cantora, antes de entrar no palco e pegar o microfone, sempre toma uma xícara de café quente com uma pitada de manteiga. E dá a receita de seu segredo, levando à mão até a garganta: “Quando a manteiga derreter, você toma o café. A manteiga é para azeitar as cordas vocais”.

Roseann Kennedy conversa com a atriz e cantora Bibi Ferreira
Roseann Kennedy conversa com a atriz e cantora Bibi Ferreira - Divulgação/TV Brasil

Orgulhosa de sua carreira, Bibi atribui o resultado do sucesso à sua entrega ao trabalho. E diz que nada seria possível sem amor. “O amor é tudo. Se não houver amor, não há nada”. Ao se dirigir à Roseann Kennedy, a artista conclui: “Você estar aqui é um ato de amor, é um ato de bondade, é um ato de querer ouvir um pouco as coisas da minha alma. Quer dizer, é um ato de amor que nós estamos cometendo aqui”.

Por fim, sem modéstia e num sorriso amigável, Bibi justifica seu espírito inquieto e explica porque não se considera uma estrela, mas um cometa. “O cometa tem uma calda, né? Ele aparece com hora marcada e aparece sempre na hora. A estrela é fixa. Eu não sou uma estrela fixa. Eu sou uma estrela que anda pelo céu”.

Ultimas

O que vem por aí