Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Gestão da água em pauta

Programa recebe representante do Fórum Mundial da Água

Diálogo Brasil

No AR em 12/03/2018 - 22:15

A escassez de água, a contaminação dos mananciais, o saneamento básico e as formas de gerir os recursos hídricos estão na pauta de dois eventos que vão reunir autoridades, pesquisadores, ativistas e empresários de diversos países em Brasília nos próximos dias.

Pelos dados das Nações Unidas, no mundo, cerca de 500 mil pessoas morrem todos os anos por consumirem água contaminada. Esse número é maior do que o de mortes causadas pela violência e pelas guerras.

O Diálogo Brasil recebe o coordenador temático do 8º Fórum Mundial da Água, Jorge Werneck e um dos coordenadores nacionais do Fórum Alternativo Mundial da Água (FAMA), Edson Aparecido da Silva. A proposta é saber quais são as divergências e os consensos entre os participantes dos eventos.

Diálogo Brasil recebe representantes do 8º Fórum Mundial da Água e do Fórum Alternativo Mundial da Água
Diálogo Brasil recebe representantes do 8º Fórum Mundial da Água e do Fórum Alternativo Mundial da Água - Divulgação/TV Brasil

O 8º Fórum Mundial da Água vai ser realizado pela primeira vez num país do hemisfério sul e tem como tema o compartilhamento da água. Jorge Werneck defende a importância de se discutir as questões relacionadas à água no momento em que várias regiões sofrem com secas, enchentes e contaminação dos recursos hídricos. O engenheiro agrícola conta que a organização do evento do qual participa foi feita em parceria com diversas entidades para torná-lo plural. “A gente considerou os grandes encontros internacionais do clima, da água, e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável foram a nossa linha mestra. Esse Fórum do Brasil está sendo construído a muitas mãos, com cerca de 600 organizações do mundo inteiro”, afirma Werneck.

O FAMA foi proposto em contraposição ao Fórum Mundial da Água e marca posição contra a mercantilização da água. Edson Aparecido da Silva diz que o evento pretende fazer um debate horizontal sobre o assunto. Mesmo com a apoio de pesquisadores e entidades, a discussão terá a perspectiva daqueles que têm na água a forma de subsistência das suas comunidades: quilombolas, indígenas, pequenos produtores do Brasil e de vários outros países. “O problema do 8º Fórum Mundial da Água é que ele tem na sua organização grandes empresas, grandes transnacionais que têm um profundo interesse no controle da água. E nós não compactuamos com isso”, afirma o representante do Fórum Alternativo.

Também participam por vídeo desse debate a senadora Ana Amélia e o senador Jorge Viana, que estão na subcomissão temporária do Fórum Mundial da Água no Senado, e o presidente do Instituto de Proteção Ambiental e integrante do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), Carlos Bocuhy.

O jornalista Estevão Damázio comanda o Diálogo Brasil, que vai ao ar toda segunda-feira, às 22h15, na TV Brasil.

Ultimas

O que vem por aí