Menu programa

A crise nos presídios brasileiros

Diálogos Brasil discute a realidade da população carcerária no país

O Diálogo Brasil trata da situação explosiva do sistema penitenciário brasileiro. A violência latente nos presídios do país, que detém a quarta maior população carcerária do planeta, com mais de 620 mil presos, voltou a produzir massacres neste início de ano, com guerras entre facções do crime organizado tirando cerca de 100 vidas em Manaus e Roraima.

Esta edição recebe a professora de direito penal da Universidade de Brasília (UnB) Soraia da Rosa Mendes e a cientista social Tatiana Whately de Moura, que foi  coordenadora (2014-2015) de Informações Penitenciárias do Depen, o Departamento Penitenciário Nacional, do Ministério da Justiça. As duas especialistas não veem o plano nacional de segurança pública anunciado pelo governo federal na semana passada como solução para o problema e defendem a reformulação da política criminal no país.

Na entrevista ao programa, elas também concordam que mais encarceramento só vai agravar a precariedade do sistema penitenciário brasileiro. Para Soraia Mendes, é preciso mudar a cultura de que a prisão é castigo. A professora observa que apenas 13% dos presos cometeram crimes contra a vida e 4% de natureza sexual. Tatiana Moura ressaltou que as más condições dos presídios, que vão da alimentação à dificuldade de acesso dos apenados à própria situação processual, fortalecem as organizações criminosas.


Também participam do programa, com depoimentos em vídeo, representantes de duas organizações não governamentais voltadas para os direitos humanos: Guilherme Pontes, pesquisador da Justiça Global; e Vivian Calderoni, assessora da Conectas.

Diálogos Brasil vai ao ar toda terça, às 20h30, na TV Brasil.