Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Minha Rua

Série documental reflete a realidade socioeconômica de cada região

DOC Brasil

No AR em 11/10/2018 - 22:45

Muitas pessoas, em algum momento de suas vidas, já desejaram compartilhar suas histórias e experiências, seja para deixá-las registradas para os filhos e a família, ou para transmitir alguma mensagem em que acredite. Na série Minha Rua o apresentador Leandro Firmino vai às ruas do Brasil para conhecer mais de perto algumas personalidades já reconhecidas nos locais onde moram – pelo trabalho realizado e pelo carisma contagiante – e, assim, fazer com que as histórias dessas pessoas cheguem ainda mais longe. Vamos conhecer alguns trabalhos culturais, ecológicos e sociais, que têm a rua como seu principal local de realização.

Série documental "Minha Rua" é apresentada pelo ator Leandro Firmino
Série documental "Minha Rua" é apresentada pelo ator Leandro Firmino - Divulgação

Dudu de Morro Agudo
Um artista de múltiplas facetas, entre as quais se destacam suas atividades de rapper e produtor cultural. Morador do bairro Morro Agudo, situado no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro, encontrou no rap o combustível que faltava para direcionar seus sentimentos de forma inteligente. Seus mais de 15 anos de carreira foram dedicados ao hip hop.

Maria Gomide
A atriz e cantora é primogênita de Carlos Gomide, que em 1975 fundou, em Brasília, o grupo de teatro de bonecos “Carroça de Mamulengos”. Ela é hoje a figura central do grupo, que ao longo de 40 anos tem oferecido a seu público, tanto das grandes metrópoles, quanto dos mais recônditos cantos do país, o que há de mais puro da arte e cultura popular.

Marcelo Eco
Representante da primeira geração de grafiteiros do Rio de Janeiro. Sua marca é um personagem de queixo pontudo encontrado em vários pontos da cidade. Seu espaço de criação é principalmente as ruas, mas não se assuste se encontrá-lo pelo mundo corporativo, no qual já realizou trabalhos para grandes empresas. Assina, ainda, projetos de cenografia para clipes e programas de TV.

Márcio Lima
O instrutor de rapel em caverna e guia de mountain bike trabalha com sustentabilidade, saúde para o corpo e contribuições ao meio ambiente.

Vinicius Daumas
É um palhaço com quase vinte anos de formação, educador social e gestor em circo. Trabalha no Circo Social Crescer e Viver, apresentando a arte circense como principal ferramenta de mudança social para crianças e jovens de baixa renda. Sua rotina é dividida entre sua casa e o circo, que, segundo ele, é um espaço sempre dinâmico. Pelas ruas da Praça Onze, ele diverte as pessoas como palhaço.

Ed Marte
O ator e performista trabalha também como educador social junto a adolescentes que estejam cumprindo medidas socioeducativas. Ele acredita na arte como possibilidade de transformação do olhar sobre o mundo. Na visão dele, ao se vestir de mulher, está apenas exercendo a liberdade de usar roupas do universo feminino ou do masculino. Considera-se de gênero livre, sem definição.

Fatinha do Jongo
Como ela mesma se define, é uma mulher negra, guerreira, jongueira, educadora, mãe e religiosa. É professora de jongo em uma escola pública, na Ong Casa do Jongo, e seu maior sonho é ver a comunidade negra, principalmente os jovens, com melhores expectativas de vida e sendo cidadãos brasileiros plenos. Através da dança, Fatinha fala sobre a história do jongo e do negro no Brasil.

Jacaré dos Patins
O ex-fuzileiro naval apaixonado por patins faz performances de dança sobre patins e tem as ruas do Rio de Janeiro como principal palco e fonte de renda. Após seis anos morando fora, voltou para o Brasil a fim de divulgar o seu trabalho e já se apresentou em diversos programas de TV. Hoje, o seu maior sonho é conseguir algum patrocínio que lhe dê condições de aprimorar o seu trabalho.

Pelé Art
É o idealizador de uma barbearia ao ar livre, especializada em corte masculino, que faz todos os cortes da moda. O “rei da navalha”, como é conhecido, começou cortando cabelo na favela do Gogó da Ema, em Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro. Há nove anos mudou-se para uma rua estreita no mesmo bairro. Pelé Art contribui ainda para que jovens do bairro tenham a oportunidade do primeiro emprego.

Sônia Baiana
É uma obstinada baiana de acarajé, representante da cultura afro através do segmento da gastronomia. Ela busca mecanismos que deem oportunidade de fazer com que a rica cultura de ancestralidade, como a atividade de baiana de acarajé, seja reconhecida, respeitada e preservada. Veio morar no Rio de Janeiro porque achou que Salvador estava pequeno demais para os seus sonhos.

Edgard Vilela
O professor e médico veterinário aposentado desenvolve um trabalho de preservação da cultura brasileira em Conservatória, sexto distrito do município de Valença, no estado do Rio de Janeiro. A região é conhecida como a capital das serenatas, que atualmente são conduzidas por ele. Edgard mostra como as serenatas viraram a principal atração local.

Monica Ulo
A dubladora boliviana do canal cristão Rit é engajada nas questões de direitos humanos e de imigrantes. Deixou a Bolívia para vir morar em São Paulo e, assim, poder se dedicar mais a sua família. Tem como ideologia de vida amar, ser feliz e aprender mais a cada segundo que passa. Monica apresenta a feira dos bolivianos na Rua Coimbra e mostra um pouco da gastronomia do seu país.

Ana Paula Lisboa
É coordenadora do projeto Agência de Redes para Juventude, no qual trabalha com o desenvolvimento de jovens de origem popular com o intuito de gerar uma nova massa crítica na cidade do Rio de Janeiro. Adora escrever poesias e já considera o hábito uma segunda profissão não remunerada. Pelas ruas do centro do Rio de Janeiro ela declama as poesias.

Direção: Luis Lomenha
Produção: Bartira Andrade e Márcio Pestana

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.

Criado em 08/10/2018 - 10:30

Ultimas

O que vem por aí