Especial Caymmi e a pequena Bahia

Perfil do compositor √© tra√ßado atrav√©s de depoimentos e participa√ß√Ķes de familiares nos n√ļmeros musicais

A afirma√ß√£o do ensa√≠sta, letrista e escritor Francisco Bosco mostra a import√Ęncia da contribui√ß√£o de Dorival Caymmi para a m√ļsica brasileira. Na sexta-feira (02), √† 01h15, a TV Brasil mergulha neste universo e exibe Caymmi e a pequena Bahia, um dos destaques da programa√ß√£o especial de final de ano da emissora.

Dorival Caymmi tem um conjunto de can√ß√Ķes intensamente original, mas paradoxalmente t√£o familiar que chega a confundir-se com o anonimato. Muitas dessas can√ß√Ķes s√£o cl√°ssicos que moram na mem√≥ria coletiva e ajudaram a construir a identidade brasileira
Francisco Bosco

Atrav√©s de depoimentos e participa√ß√Ķes nos n√ļmeros musicais, Stella Caymmi, neta e bi√≥grafa, e os filhos Nana, Dori e Danilo tra√ßam o perfil do cantor e compositor, que se encantou pelo Rio de Janeiro, sem deixar de lado suas ra√≠zes baianas. O especial apresenta ainda grava√ß√Ķes hist√≥ricas retiradas do rico acervo da TV Brasil com participa√ß√Ķes do pr√≥prio Dorival e de Jorge Amado.

"Os negros e os mulatos que têm suas vidas amarradas ao mar têm sido a minha mais permanente inspiração. Não sei de drama mais poderoso do que o das mulheres que esperam a volta sempre incerta dos maridos que parte todas as manhãs para o mar no bojo dos leves saveiros ou das milagrosas jangadas. Tratei desses motivos porque nada mais sou que um homem do cais da Bahia, devoto eu também de Iemanjá, certo eu também que estamos todos nós nas suas mãos, rogando-lhe que não envie os ventos da tempestade, que seja de bonança o mar da minha vida", diz Dorival Caymmi, em Cancioneiro da Bahia.

O Posto Seis, em Copacabana, Rio de Janeiro, onde uma col√īnia de pescadores resiste ao tempo com suas redes tran√ßadas manualmente e seus fr√°geis barcos de madeira, era um dos locais preferidos de Dorival. L√°, ap√≥s sua morte em 2008, ele foi homenageado com uma est√°tua de bronze, inspirada em uma foto de Evandro Teixeira, com o compositor saindo da praia com seu viol√£o e acenando para os amigos. Este foi o cen√°rio escolhido como o ponto de partida paraCaymmi e a pequena Bahia.

Neste primeiro segmento, o p√ļblico acompanhar√° o depoimento de Caymmi sobre o in√≠cio da carreira e a paix√£o pelo bairro onde escolheu viver. Os filhos Dori e Danilo tamb√©m recordam as andan√ßa do pai √† beira mar. Danilo canta S√°bado em Copacabana (Dorival Caymmi e Carlos Guinle). Ainda neste primeiro bloco, Noite de Temporal , com o pr√≥prio autor, e Lagoa do Abaet√©, com Marcos Fa√ßanha.

Porque o Rio √© o tema da segunda parte do programa, em que Stella lembra os motivos que levaram o av√ī a deixar a Bahia para tentar a sorte no Rio de Janeiro, pensando num emprego p√ļblico. No entanto, a carreira iniciada nas r√°dios de Salvador logo teria sequ√™ncia no Rio de Janeiro, sedimentada pelo casamento com Stella Maris e a chegada dos filhos. Zeca do Trombone e Danilo apresentam Maracangalha e Dorival volta a cena com a grava√ß√£o de Saudade da Bahia .

A Bahia dentro de mim, terceira parte do programa, busca as ra√≠zes da m√ļsica de Caymmi atrav√©s de depoimentos de Danilo, Stella e Dori. A mistura cultural das ladeiras de Salvador, o contato com os pescadores e a culin√°ria saborosa estavam sempre presente em suas obras e revelavam a Bahia para o resto do Brasil nas d√©cadas de 1950/60. Nesta parte do especial Caymmi canta Voc√™ j√° foi a Bahia e um trecho de Vatap√°, seguindo por uma grava√ß√£o de Danilo.
Dori e Nana CaymmiDori e Nana Caymmi


Ao apresentar a Bahia para o Brasil, Caymmi criou uma imagem muito especial da regi√£o. O inventor da Bahia √© a quarta parte do programa. Dori recorda com o ele foi um dos criadores da imagem de Carmem Miranda, com todos os balangand√£s e frutas na cabe√ßa, que depois se transformou em marca registrada da cantora e sucesso em todo o mundo. O figurino surgiu para a filmagem deBanana da Terra, que lan√ßou a m√ļsica O que √© que a baiana tem, No especial a can√ß√£o ser√° interpretada por Danilo, que tamb√©m canta Su√≠te do Pescador.

Ob√° de Xang√ī, Caymmi era um filho de santo devoto, e Ora√ß√£o de M√£e Menininha, com Caymmi abre a quinta parte do programa. A forte influ√™ncia de elementos africanos em suas composi√ß√Ķes tamb√©m est√£o presentes em can√ß√Ķes como Vida de Negro apresentada por Danilo.

O caldeir√£o cultural que marcou a forma√ß√£o do compositor, permitiu que se aventurasse em in√ļmeras vertentes da m√ļsica, como o samba sacudido de A vizinha do lado e Samba da minha terra, interpretados por Danilo. As can√ß√Ķes praieiras, como Promessa de Pescador tamb√©m apresentada na voz de Danilo e os sambas rom√Ęnticos, como Marina, na voz do autor, ou N√£o tem solu√ß√£o com Nana.

O Caymmi contempor√Ęneo, que influenciou v√°rios movimentos e continua admirado por jovens compositores √© o tema da √ļltima parte do programa. Suas amizades com Tom, Vin√≠cius e L√ļcio Rangel tamb√©m ser√£o lembradas e Nana apresenta S√≥ Louco e Jo√£o Valent√£o. Danilo fecha o especial com Samba da Minha Terra.

Mesmo pressionado por gravadoras e produtores, Caymmi n√£o alterava o seu ritmo de trabalho e, ao longo dos 74 anos de sua carreira, fez aproximadamente 120 composi√ß√Ķes, a sua maioria sem parceiros. Algumas, como Jo√£o Valent√£o, dizem os amigos que levou nove anos para concluir. "√Č verdade que Caymmi comp√īs pouco mais de 100 m√ļsicas, mas todas s√£o obras-primas. Quem √© o compositor que pode se das a esse luxo? Eu queria ser pregui√ßoso assim", afirmou Caetano Veloso durante uma entrevista para a Folha de S√£o Paulo.

O especial tem roteiro e direção musical de Ricardo Vilas. A direção é de Ricardo Barros e coordenação de produção de Tereza Cristina

Programas