Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Produção cultural nos anos de chumbo

Aderbal Freire-Filho e Wladimir Carvalho debatem o tema no Entrelivros

Entrelivros - Bienal Brasília 2014

No AR em 20/04/2014 - 22:30

Neste domingo, a jornalista Renana Lessa recebe no Entrelivros, direto do estúdio da TV Brasil montado dentro da II  Bienal do Livro e da Leitura de Brasila, o diretor de teatro Aderbal Freire-Filho e o cineasta Wladmir Carvalho. Na pauta, a produção cultural nos anos de chumbo.

O diretor teatral Aderbal Freire-FilhoAlém de diretor teatral consagrado, Aderbal também é apresentador do programa Arte do Artista, na TV Brasil  Fundador do Grêmio Dramático Brasileiro, 1973, e do Centro de Demolição e Construção do Espetáculo (CDCE), 1989, Aderbal assina, entre outros espetáculos, Apareceu a Margarida; A Morte de Danton; A Mulher Carioca aos 22 Anos e Tiradentes. Distingue-se entre os diretores brasileiros por aliar a busca constante por novas formas de teatralismo a uma encenação que prioriza o ator como agente principal da linguagem e da comunicação das idéias do texto.

O cineasta Wladimir de CarvalhoO cineasta Wladimir Carvalho integrou o chamado movimento do cinema novo. Em 1964, ano do Golpe de Estado que instalou a ditadura militar no país, ele era assistente do cineasta Eduardo Coutinho e ambos foram surpreendidos com a notícia em plena filmagem do documentário Cabra Marcado para Morrer, no engenho Galiléia, em Pernambuco. Após saberem sobre o golpe, a fuga e a entrada na clandestinidade foram inevitáveis, porque sabiam que seriam presos pela ditadura; já que estavam filmando um tema explosivo, o das Ligas Camponesas. Entre os seus filmes estão Barra 68 e  O Engenho de Zé Lins, sobre o escritor paraibano José Lins do Rego.

 




Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.

Criado em 18/04/2014 - 17:33 e atualizado em 21/04/2014 - 14:42

Ultimas

O que vem por aí