Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

O rei D.Carlos oferece o cargo de Governador a Luís Bernardo

Antero se apaixona por Pilar

Equador

No AR em 01/11/2013 - 01:30

Durante o almoço, o rei convida Luís para o cargo de Governador de São Tomé

No palácio de Vila Viçosa, os empregados estão empenhados nos preparativos para o almoço do Rei e seus treze convidados. Luís Bernardo Valença e o rei D. Carlos estão sentados frente a frente. O primeiro prato é servido e todos começam a comer num ambiente alegre e descontraído. As conversas englobam pequenas histórias caricatas da sociedade portuguesa. Divertido, Luís Bernardo assiste a tudo. Mas, sem participar. Terminado o almoço, todos se dirigem para uma segunda sala onde desfrutam um conhaque.


D. Carlos e Luís Bernardo começam a falar sobre a missão que o rei quer lhe confiar. Os pormenores, contudo, são discutidos no escritório na presença do Conde de Arnoso. Chega, por fim, a oferta de D. Carlos: o cargo de Governador de S. Tomé e Príncipe. Acompanhada pelo porquê desta urgência: o novo governador tem de convencer o Cônsul inglês de que não existe escravatura nas ilhas de S. Tomé e Príncipe. Apanhado de surpresa, Luís Bernardo pede uma semana para pensar sobre o convite.


Na mesma noite, Frederico leva Antero ao bordel. Ali são recebidos por Maria dos Prazeres. Antero é iniciado nos mistérios do amor por Pilar. Acabada a iniciação, é um homem novo - resolve um grande problema.


Bordel de Maria dos Prazeres


De volta a Lisboa, Luís Bernardo encontra-se com João, no Grêmio. Forjaz coloca o amigo a par do plano da prima para o encontro dos dois, na noite seguinte, no hotel Bragança, onde Matilde e Marta ficarão hospedadas. Também o informa do jogo dos quartos reservados no hotel com nomes trocados. Se bater à porta do 308 encontrará Matilde. Depois de explicar tudo, João espera que o amigo tenha o bom senso de não ir a esse encontro para o bem de todos.


Já nos escritórios da Insular, João interroga Luís Bernardo sobre os resultados da visita à Vila Viçosa e toma conhecimento do convite para o cargo de Governador de S. Tomé. João vai avisando o amigo de que é quase inevitável escapar desta quase obrigação de servir ao seu país. No entanto, Valença diz que não considera a hipótese de abandonar Portugal e todas as mordomias associadas.


Na manhã seguinte, Frederico acompanha Matilde e Marta à estação de trem para lhes desejar uma boa viagem para Lisboa e que aproveitem as compras no Chiado.


A noite escaldante no bordel com Pilar trouxe um outro problema a Antero: está apaixonado pela prostituta espanhola. Quando Antero fala para seu primo que não quer casar com Marta, Frederico fica apavorado. Nervoso com a possibilidade do seu primo vir a ter uma atitude inconsequente, Frederico decide ir a Lisboa.


Na Índia, Ann pressiona David para que vá pedir dinheiro ao Rajá a fim de saldar a dívida que contraiu no jogo. Mas David mantém-se irredutível - explica-lhe que é uma questão de honra e jamais se rebaixaria a esse ponto, pois quem viesse a seguir representaria um governo eternamente em dívida para com o Rajá e a Índia.


Sem o conhecimento do marido, Ann decide resolver o problema e ir falar pessoalmente com Singh. Contudo, a sua ida é em vão. A conversa com o Rajá não acontece, uma vez que, ao chegar ao palácio, Ann dá de cara com David.


Luís Bernardo recebe uma proposta de compra da sua empresa


Nessa noite no Grêmio, o Dr. Veríssimo, um velho conhecido, junta-se a Luís Bernardo e aos seus amigos. A sós, numa das salas mais refundidas, Valença, recebe uma proposta de compra irrecusável da sua empresa, a Insular, por parte do Dr. Veríssimo.


No bordel, Pilar está envolta de felicidade depois de ter recebido um enorme ramo de flores de Antero. Em pânico, Frederico procura Maria dos Prazeres para que o ajude a impedir que Antero cometa uma loucura. No entanto,Pilar está determinada a não deixar que ninguém interfira na sua felicidade.


Ao mesmo tempo no hotel, Matilde prepara-se para o primeiro encontro com Luís Bernardo, mesmo com as inseguranças e sentimentos de culpa. Por outro lado, Marta teme que algo corra mal.


Pouco depois das dez da noite, ouvem-se passos no corredor, batem à sua porta e Matilde se inquieta cada vez mais. É Luís Bernardo. No interior do quarto, os dois trocam olhares em silêncio, sob um desejo ardente, mas antes de avançarem, Luís confidencia a Matilde que é possível que tenha de partir para S. Tomé e Príncipe muito em breve, numa missão do Estado.






Criado em 07/10/2011 - 03:00 e atualizado em 07/10/2011 - 03:00

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí