Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Olimpíadas da Rua

A série aborda a história e as regras atuais de brincadeiras de rua

O objetivo da série "Olimpíadas da Rua" é resgatar as brincadeiras de rua e apresentá-las para as novas gerações, além de mostrar a universalidade do brincar e da possibilidade de criar brincadeiras de forma democrática, sem a necessidade de brinquedos industriais, eletrônicos ou não.

Um narrador esportivo, Adalberto, e um comentarista, Alberto, apresentam cada modalidade, explicando suas regras e interagindo com as crianças. Enquanto Adalberto tem um tom mais pomposo e uma voz grave que remete a locutores esportivos antigos, Adalberto tem um tom informal, voz mais estridente e faz comentários divertidos com informações complementares.

Cada episódio apresenta um jogo ou brincadeira de rua diferente:

"Lá vou eu" grita a criança quando acaba de contar
"Lá vou eu", deve gritar a criança quando acaba de contar - reprodução

ESCONDE-ESCONDE - a brincadeira de rua mais popular de todas. Acompanharemos as regras, curiosidades e diferentes formas de brincar de esconde-esconde.

ELEIÇÕES GERAIS - as diferentes formas – das mais simples e conhecidas às mais complexas e estranhas – de eleger um jogador especial ou separar os times em quase todas as brincadeiras e jogos que existem: dois ou um, dedos, par ou ímpar e palitos são algumas das modalidades de eleição abordadas no programa.

QUEIMADA - também conhecida como mata-mata, caçador e dodgeball, é uma das brincadeiras de rua (ou das aulas de educação física) favoritas de crianças e jovens há várias gerações, e pode ser jogada com poucos itens: uma bola, giz de lousa e pelo menos sete bons amigos.

BOLINHA DE GUDE - além de ensinar as regras dos diferentes jogos (dos mais comuns aos mais estranhos e complexos), neste programa as crianças também aprendem as manhas e técnicas para jogar bolinha de gude como um profissional.

GATO MIA/CABRA-CEGA - o episódio aborda estas variações bastante dificultadas do esconde-esconde: o perseguidor agora está no escuro, seja com os olhos vendados ou em um quarto com as luzes apagadas.

Telefone sem fio
Telefone sem fio - reprodução

TELEFONE SEM FIO - alguns amigos em uma roda e muito bom humor são os únicos itens necessários para brincar de telefone sem fio. No episódio, as crianças brincam começando com apenas uma palavra simples até frases elaboradas, que chegam ao jogador final completamente distorcidas.

CORRIDA DE SACO - conheça a popular Corrida de Saco desde a manufatura do saco de corrida até as formas de competir, contar pontos e separar as crianças em times. Nesse episódio, nossos locutores esportivos narram a competição no maior estilo Fórmula 1.

PORCO - as crianças aprendem não só as regras e separação das cartas de baralho, mas também as melhores técnicas para abaixar suas cartas disfarçadamente. Os locutores apresentam o episódio com um toque de suspense.

TACO - da manufatura dos tacos e bolinhas até as regras e manhas, aqui as crianças aprendem a jogar essa variação simplificada do baseball. Locutores, arte e efeitos sonoros brincam com transmissões clássicas do jogo mais popular dos Estados Unidos.

MÍMICA - as diferentes vertentes e variações desse jogo que é popular entre crianças e adultos, e um clássico das festas de família e reuniões de amigos. Os locutores dão sugestões um pouco mais difíceis, como nomes de filmes antigos ou personagens históricos brasileiros.

PIQUE-BANDEIRA - para explicar as regras desse jogo, os narradores começam falando sobre o pega-pega, ancestral direto do Pique-Bandeira. As crianças mostrarão como fazer as bandeiras de forma simples e com itens do dia a dia, além manhas práticas para não ser pego pelo time oposto.

CAMA DE GATO - uma brincadeira simples, para duas pessoas, que pode ser jogada com apenas um barbante, duas mãos e um pouco de criatividade. Para mostrar as regras e inúmeras possibilidades, enquanto duas crianças brincam, várias crianças criam as mesmas formas com o corpo, e um barbante gigante que passa entre elas.

Amarelinha
Amarelinha - reprodução

AMARELINHA - outra brincadeira clássica. Além das regras básicas, os narradores e crianças mostram técnicas para se equilibrar e saltar para frente em um pé só.

 

JOQUEMPÔ - apesar de ter regras simples, o Joquempô é motivo de muito debate. Existe até uma Associação Mundial de Jogadores de Pedra-Papel-e-Tesoura, fundada na Inglaterra há mais de 100 anos! Nesse episódio, os locutores explicam como ganhar na maior parte das vezes, seguindo uma técnica estabelecida recentemente por acadêmicos da Universidade de Zhejiang, na China.

DANÇA DAS CADEIRAS - talvez o jogo mais popular das festas infantis. Uma das crianças será eleita a responsável pelo som, quando a música parar, todos têm que sentar em uma cadeira. Na rodada final, restarão dois jogadores e uma cadeira.

CINCO MARIAS - a origem desse jogo não é clara: enquanto alguns dizem que surgiu na Grécia antiga, outros dizem que veio da China e se popularizou no Japão (após a Segunda Guerra Mundial, quando não haviam brinquedos disponíveis para as crianças), onde é conhecido como Otedama. Nesse episódio, além de falar sobre a rica história da brincadeira, os locutores e crianças ensinam como jogar e como fazer os saquinhos, com a ajuda de um adulto.

PETECA - para esta brincadeira, as crianças e os locutores promovem um breve workshop de criação de petecas com itens simples do dia a dia. Em seguida, alguns diferentes tipos de jogos para brincar com a peteca.

Passa Anel
Passa Anel - reprodução

PASSA ANEL - com apenas um anel e alguns amigos, é possível se divertir com essa brincadeira. Para deixar um pouco mais difícil, as crianças podem brincar com outros objetos além do anel. Os locutores dão dicas e técnicas para passar o anel disfarçadamente e tornar o jogo mais complicado.

QUAL É A PALAVRA? - tudo começa quando cada participante escreve pelo menos cinco palavras em papeizinhos dobrados. As crianças se dividem em dois times. Na primeira rodada, cada participante pega um papelzinho e pode falar tudo, menos a palavra do papel, para que os demais participantes do time adivinhem o que está escrito. Com o fim dos papéis, começa a segunda rodada: a mesma coisa, porém os participantes devem adivinhar o que está escrito com apenas UMA palavra. Na última rodada, as palavras devem ser adivinhadas através de mímica. O time que adivinhar mais palavras nas três rodadas vence.

MÃE DE RUA - as crianças mostram a brincadeira tradicional e suas regras. Em seguida, os locutores sugerem o modo extradifícil, em que os participantes têm que “atravessar a rua” pulando em um pé só.

QUEM SOU EU? - as crianças fazem uma roda e escrevem nomes de pessoas (personagens de filmes ou séries, pessoas conhecidas, figuras importantes, celebridades, etc.) em pedaços de papel. Em seguida, “colam” o papel na testa do participante à sua direita. Cabe a cada participante, através de perguntas de sim ou não, descobrir quem é o personagem em sua testa. Nas rodadas subsequentes, os participantes colam o papel no participante a sua esquerda. Mais uma vez, aqui os locutores sugerem personagens históricos ou pouco conhecidos para alguns dos participantes, deixando o jogo bem mais difícil.

CORRE CUTIA - as crianças aprendem a poesia completa (os locutores sugerem algumas continuações exóticas) e em seguida brincam de acordo com as regras. Os locutores narram a brincadeira de forma excessivamente séria, como uma modalidade desportiva de alto uso da intelectualidade - xadrez, por exemplo.

CAÇA AO TESOURO - as crianças se dividem em times e escondem um “tesouro” cada. Cabe ao outro time encontrar o tesouro, mas para isso, terão que seguir as pistas. Os locutores dão exemplos divertidos de pistas: dos mais poéticos aos mais esdrúxulos.

STOP - primeiramente as crianças escrevem as diferentes categorias, o que normalmente gera conflitos. Os locutores incluem algumas categorias mais complexas, como Figura Histórica, Personagem Folclórico ou Nome de Brincadeira de Rua. Antes da brincadeira, as crianças mostram diferentes formas de escolher a letra da rodada (enquanto alguns fazem Dedos, outros usam aquela técnica bizarra, fácil de trapacear, em que uma pessoa “pensa” as letras do alfabeto até que outra fala STOP).

BOBINHO OLÍMPICO - um jogo simples, com três jogadores e uma bola. Dicas e manhas passadas pelos locutores tornam a brincadeira mais complexa, mas também mais divertida.

DETETIVE - ao invés da versão clássica, jogada com cartas de baralho, nesse episódio as crianças mostram que é possível criar suas próprias cartas de papel e caneta. Assim como no Porco, aqui os locutores ensinam manhas para “matar” as vítimas disfarçadamente, sem que o policial descubra. As rodadas do jogo têm uma narração que remete ao estilo film noir: uma rodada mais focada em um detetive, outra em um assassino e a última em uma vítima.

A NOITE DO MORTO-VIVO - no episódio, as cenas da brincadeira, fazem referência a filmes de terror dos anos 1960, como “A Noite dos Mortos-Vivos”. Primeiramente, as crianças preparam suas fantasias mais horripilantes. Aquela que tiver a fantasia mais terrível e assustadora será nomeada “O Monstro”. Começa a brincadeira: O monstro grita VIVO! e todas as outras crianças ficam em pé. Em seguida, grita MORTO! e todas se agacham. A brincadeira continua: a velocidade vai aumentando, todas agachando e levantando muito rapidamente, sem parar - e várias crianças vão sendo rapidamente eliminadas, até que se chegue ao vencedor, o último atleta a resistir.

Acompanhe a série "Olimpíadas da Rua" durante a programação da TV Brasil Animada.

Tags:  tvbrasilanimada

Ultimas

O que vem por aí