Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Mídia em Foco debate o uso das novas mídias no teatro

A convergência de mídias também é uma realidade nas artes cênicas

Inventado há milênios, o teatro é uma forma de arte que envolve e emociona o público e na qual um ou vários atores apresentam uma determinada história que desperta na plateia sentimentos variados. Termo de origem grega, a palavra teatro serve para designar tanto o conjunto de peças dramáticas para apresentação em público como o edifício onde são apresentadas essas peças. O teatro nos dias de hoje é o tema do Mídia em Foco, que vai ao ar na segunda (11), às 22h45, na TV Brasil. 

Para o produtor teatral Atilio Bari, um dos entrevistados pelo Mídia em Foco, a importância do teatro é “registrar a trajetória humana sobre a face da terra", independentemente da época em que se vive. “O teatro não tem preconceitos. O teatro gosta do preto, do branco, do japonês, do gay, da travesti, da lésbica, e das novas tecnologias também. O teatro abre, abraça tudo, acho que esse é um dos motivos da sobrevivência do teatro ao longo desses tantos séculos”, resume.

Na avaliação de Atilio, a arte teatral não perde sua relevância. "À medida que a tecnologia vai avançando, o teatro vai se adaptando, vai se moldando e incorporando essas novas mídias", diz. E cita como exemplo as transmissões de peças pela internet e o uso de celulares dentro do teatro como parte da história. "O teatro sempre é um reflexo do seu tempo. Então se o nosso tempo é esse, o teatro é esse também", afirma o produtor. 

Erika Hoffgen, publicitária e gerente de projetos da Cennarium ( plataforma sob demanda de conteúdo teatral), observa que o teatro brasileiro é muito criativo. “É um teatro que tem diferentes expressões desde monólogos, passando pelo stand up, por dramas; enfim todos os gêneros”, diz. E lembra que o teatro brasileiro é reconhecido no exterior, com a participação de grupo em mostras internacionais.

Diretor de teatro da Companhia Phila 7, Rubens Velloso, argumenta que o uso de novas mídias no teatro amplia as possibilidades dessa forma de arte. “Eu não estou falando de construir novas possibilidades tendo tecnologia para mover palcos; estou dizendo de tirar o teatro das quatro paredes. Hoje o teatro não tem mais um espaço específico, ele é na rua, pode ser num buraco do metrô e ele vai existir sempre, mas você pode sempre expandir essa potência através das novas mídias que nós construímos”, defende. . 

Os primeiros registros de encenações teatrais remontam ao Egito antigo. O drama mitológico sobre o Deus Osíris é uma das peças mais antigas da história, e foi criada há mais de cinco mil anos. No século V a.c. o teatro se consolida na Grécia. Dramaturgos desse período como Sófocles e Ésquilo tem suas peças encenadas até hoje.

No Brasil, o teatro surge no século XVI com intuito de propagar a fé religiosa. Os autos escritos pelo Padre José de Anchieta nesse período foram as primeiras peças encenadas em solo brasileiro. A partir do século XIX, com a conquista da independência e o início do romantismo, um teatro realmente nacional começa a se estabelecer como nas tragédias de Gonçalves de Magalhães e nas comédias de Martins Pena.

Apresentado pela jornalista Paula Abritta,  Mídia em Foco se propõe a pensar os rumos da comunicação, abordando novas tendências de mercado, produção do conteúdo, evolução das tecnologias, convergência das mídias, regulação e consumo nos dias de hoje e as expectativas para o futuro.

A produção semanal da TV Brasil busca contemplar, ainda, a história dos meios de comunicação e sua influência na sociedade atualmente. A proposta é estimular que o telespectador desenvolva uma visão crítica e possa refletir sobre o que observa na mídia.

Serviço
Mídia em Foco - segunda-feira, dia 11, às 22h45, na TV Brasil 

Da Gerência de Comunicação Institucional
Empresa Brasil de Comunicação - EBC
Contato: (21) 2117-6818

Ultimas

O que vem por aí