Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Lúcio Alves

A contribuição do compositor, falecido há 20 anos, à Bossa Nova

Musicograma

No AR em 04/08/2013 - 00:30

Lúcio AlvesÉ difícil separar a realidade da ficção, quando o assunto são as origens da Bossa Nova. Esse gênero musical, um dos mais importantes da música brasileira do século XX, é o retrato dos anos 1950, década em que o futebol brasileiro foi reconhecido mundialmente pela conquista do bicampeonato; nosso cinema ganhou a “Palma de Ouro” em Cannes com “O Pagador de Promessas” e Eder Jofre foi sagrado o “Galinho de Ouro” do boxe.

A trilha sonora da época era as canções de rádio nas vozes de Lúcio Alves, Dick Farney e outros. Filho de um maestro de banda no interior de Minas Gerais, Lúcio se mudou para o Rio de Janeiro decidido a viver de música. Já era violonista, cantor e arranjador quando criou o conjunto Namorados da Lua, nos anos 40. Com o grupo, gravou marchinhas de carnaval e atuou nas rádios e cassinos. Ainda fazia parte do conjunto quando compôs o clássico “De Conversa em Conversa”, em parceria com Haroldo Barbosa. A partir daí, as portas para o sucesso foram abertas.

Nos anos 1970, Lúcio Alves assinou vários quadros musicais na extinta TV Educativa do Rio de Janeiro e gravou pouco. Em 1975 visitou os repertórios de Pixinguinha, Tom Jobim e Chico Buarque, cantando canções com nomes de mulheres. A contribuição de Lúcio à Bossa Nova começou a ser revista a partir da sua morte, no dia 3 de agosto de 1993.




Criado em 08/07/2013 - 15:15 e atualizado em 21/08/2013 - 17:42

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Ultimas

O que vem por aí