Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Doar sangue salva vidas até na ficção

O desespero toma conta de Windeck - Todos os Tons de Angola nesta semana. Isso porque o modelo e sócio de Giorgio no catering,Yuri Massano, sofre um acidente de carro que o deixa em estado gravíssimo. O garoto perde grande quantidade de sangue e terá que passar por uma transfusão urgente. O estoque de sangue do hospital, no entanto, não possui seu tipo sanguíneo, o “O negativo”, considerado um dos mais raros. Caso não consiga um doador compatível, o rapaz pode morrer.

A trama africana nos alerta a importância da doação de sangue, pois, com ela, é possível salvar vidas tanto na ficção quanto na realidade. A novela também chama a atenção para o tipo sanguíneo “O negativo”, que geralmente é o que apresenta a menor quantidades em estoques, pois só recebe doação dele próprio (“O negativo”), ao mesmo tempo que é considerado universal, pois pode ser transfundido para qualquer outro tipo. Segundo informações da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (HEMOAM), apenas 9% dos brasileiros possuem esse tipo de sangue, mas só recebe doação dele próprio (O negativo).

No Brasil, os sangues mais comuns são o “A” e o “O”, que, juntos, abrangem 87% da população. Já no caso do “B” contribui com 10% e o AB com apenas 3% . O tipo “O positivo” é o sangue mais utilizado no Brasil, pois os estoques de um hemocentro devem ter, no mínimo, 50% dele. Por isso é importante manter os estoques de sangue sempre abastecidos.

Doar sangue é um procedimento simples, rápido, sigiloso e seguro. Todos os dias milhares de brasileiros necessitam de sangue para a realização de transplantes, cirurgias e atendimentos de urgência. Dados do Ministério da Saúde mostram que o número de coletas no Sistema Único de Saúde (SUS) em 2013 foi de 3,3 milhões. A taxa de doação por habitante registrou queda em 2013 se comparada à 2012, passando de 18,75/mil habitantes para 17,84/mil habitantes.

Atualmente, 1,6% da população brasileira tem o hábito de doar sangue. O índice está dentro do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para autossuficiência dos países, que é de 1% a 3% da população doando sangue. No Brasil, qualquer pessoa poderá doar sangue, desde que sejam observadas algumas condições, a fim de garantir a segurança e a qualidade do procedimento. Antes da doação, o candidato irá passar por uma avaliação clínica que determinará se está apto ou não para doar.

Quem pode doar

Aqueles que desejam doar sangue podem comparecer a uma Hemocentro (verificar em cada cidade os dias e o horário de doação). Para doar, é preciso pesar no mínimo 50 kg; ter entre 18 e 69 anos. Também podem ser aceitos candidatos à doação de sangue com idade entre 16 e 17 anos, com o consentimento formal do responsável legal. É preciso estar em boas condições de saúde: o doador tem que estar alimentado e evitar alimentos gordurosos nas 4 horas que antecedem a doação. É essencial ter uma boa noite de sono, por isso a pessoa deve estar descansada e ter dormido pelo menos 6h nas últimas 24h.

No dia da doação é preciso apresentar documento original com foto, emitido por órgão oficial, em bom estado de conservação e dentro do prazo de validade. Serão aceitos: Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Certificado de Reservista, Carteira Nacional de Habilitação, Passaporte, Carteira Profissional emitida por classe ou Carteira do Doador. Não serão aceitos crachás funcionais e carteiras estudantis.

Impedimentos temporários

  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento de sintomas.
  • Febre.
  • Gravidez.
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
  • Amamentação, no caso do parto ter ocorrido há menos de 12 meses.
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
  • Tatuagem nos últimos 12 meses.
  • Pessoas que adotaram comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis devem aguardar 12 meses.
  •  Pessoas que tiveram em região endêmica para malária nos últimos 12 meses anteriores à doação.

Impedimento Definitivo:

  • Usuários de Drogas Injetáveis (UDI).
  • Portadores de doenças infecto-contagiosas, tais como: Sífilis, AIDS, Chagas, Malária, Hepatite B ou C.

Intervalos para doação

  • Homens - 60 dias (máximo de 4 doações nos últimos 12 meses).
  • Mulheres - 90 dias (máximo de 3 doações nos últimos 12 meses).

Cuidados pós-doação

  • Permanecer no local de doação por, pelo menos, 15 minutos.
  • Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12h.
  • Ingerir bastante líquido nas 24 horas seguintes à doação.
  • N ão fumar por cerca de 2h.
  • Não ingerir bebida alcoólica nas 24 horas.
  • Não dirigir motocicletas caso seja a primeira doação.
  • Manter o curativo no local da punção por pelo menos 4h.
  • Não dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes, praticar paraquedismo ou mergulho.


*Com informações da Fundação Hemocentro de Brasília, de São Paulo, Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas

Leia também: 

Já sabe quem é você em Windeck? Faça o quiz

Reprodução assistida ganha destaque em Windeck

Violência doméstica contra crianças e adolescentes é tema de Windeck

Relacionamento de Nadir traz à tona drama da violência doméstica contra a mulher

TV Brasil recebe prêmio Camélia da Liberdade pela novela Windeck




Criado em 21/04/2015 - 16:43 e atualizado em 21/04/2015 - 17:45

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Ultimas

O que vem por aí