Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

"Foi a primeira vez que se falou, numa novela, sobre a homossexualidade de forma aberta", diz atriz

Em entrevista ao blog da novela Windeck, a atriz Edusa Chindecasse contou que em Angola ainda há muito tabu em relação à homossexualidade. A trama africana, no entanto, abordou o tema e as dificuldades de ser homossexual no país, com as estórias do diretor-financeiro da revista Divo, Artur, e o casal lésbico vivido por Tchyssola e Luena, personagem de Edusa. "Foi a primeira vez que se falou, numa novela, sobre a homossexualidade de forma aberta", disse a intérprete.

Primeira atriz a viver uma personagem lésbica na televisão angolana, Edusa relatou o cuidado das atrizes e da produção para apresentar as cenas do casal homoafetivo de forma delicada e discreta. "É um processo civilizatório, tem que ser feito aos poucos. Por isso, tínhamos cuidado para não exagerar muito ou para que não ficasse muito falso", avaliou.

Confira a entrevista completa com a atriz Edusa Chindecasse

Edusa acredita no papel educativo da televisão e, por isso, a importância de se abordar temas presentes na vida das pessoas. "Tem gente que defende que não pode falar sobre isso na televisão, porque crianças não podem ver, porque pessoas não podem saber. Quando é uma realidade que está patente no nosso país. Você vai à rua e vê. Por que vamos fingir e dizer que não existe? Atores são agentes sociais e acredito que estamos ali para mostrar o que é real. São assuntos que devem se falar. Tal qual a homossexualidade, nós falamos sobre racismo, sobre abuso de poder".

Segundo a atriz, a personagem dividiu opiniões em Angola. Ela relatou que muitas pessoas elogiavam a Luena Voss por ser uma mulher profissional, que impõe respeito, mas que depois de descobrirem a orientação sexual da personagem, indagavam: "Nós gostamos dela, mas por que ela tem que ser assim?", ao passo que Edusa respondia: "As pessoas gostam das pessoas primeiro, não da orientação sexual".

Confira o trecho da entrevista em que a atriz fala sobre homossexualidade:

 

Leia também:

Homofobia ainda é ameaça aos direitos humanos

Assumir a orientação sexual ainda é desafio para os homossexuais

 




Criado em 09/03/2015 - 17:15 e atualizado em 09/03/2015 - 17:15

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí