Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

O ghost writer na literatura brasileira

Tânia Carvalho conversa com Raphael Montes no Trilha de Letras

A jornalista Tânia Carvalho é a entrevistada do Trilha de Letras, que vai ao ar amanhã (dia 18), às 21h15, na TV Brasil. No bate-papo com o apresentador e escritor Raphael Montes, Tânia fala a profissão de ghost writer (escritor fantasma). 

Os ghost writers transformam em texto a ideia dos outros e não levam o crédito por isso. Comuns em países como EUA e Inglaterra, ghost writers começam a se firmar no Brasil. Tânia Carvalho é uma das “escritoras fantasma” mais requisitadas do país.  

Autora de duas dezenas de livros, como os dedicados ao atores Irene Ravache e Tony Ramos, Tânia conta no Trilha de Letras como é a relação entre ghost e o ‘autor’. Ela leva de três a seis meses para escrever um livro. 

No Brasil, a figura do ghost writer ainda é desconhecida, mas está presente cada vez mais na literatura. A profissão se tornou popular no Brasil em 2005, depois do sucesso editorial de “O Doce Veneno do Escorpião”. Por trás do relato da ex-garota de programa Bruna Surfistinha, estava o jornalista Jorge Tarquini. 

Serviço:
Trilha de Letras - terça-feira, dia 18, às 21h15,  na TV Brasil

 

Da Gerência de Comunicação Institucional
Empresa Brasil de Comunicação - EBC
Contato: (21) 2117-6471 / (21) 2117-6239

Ultimas

O que vem por aí