Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Mães na escola

Mariana Kotscho e Roberta Manreza conversam com mães que foram para

Papo de Mãe

No AR em 17/01/2016 - 14:30


Êda Luiz é coordenadora geral do Centro Integrado de Educação de Jovens Adultos (CIEJA) do Campo Limpo, em São Paulo..Papo de Mãe
conversa com mães que não tiveram oportunidade de estudar ou que tiveram que abandonar os estudos ainda na infância, mas voltaram à sala de aula depois de adultas, para concluir os estudos. São exemplos de que nunca é tarde para se começar algo.

Dona Helena (58) só teve oportunidade de se alfabetizar aos 45 anos. Mãe de três filhas e uma neta, ela conta que trabalhava em casa de família e passava madrugadas inteiras estudando. Apesar de toda a dificuldade, conseguiu completar o supletivo, entrar na universidade e realizar o sonho de tornar-se psicóloga.
 
Hilda (51), mãe de dois filhos, ainda é analfabeta, mas começou o Módulo 1 do programa Educação para Jovens Adultos (EJA) há pouco mais de um mês e já comemora ter aprendido algumas letras. Ela conta que nunca frequentou a escola e que começou a trabalhar muito cedo como empregada doméstica. Seu grande sonho é conseguir ler uma placa de rua, o letreiro do ônibus e o rótulo dos produtos no supermercado.
 
Enedina (65) tem um filho e diz que sempre teve problema com as letras, tanto que repetiu o 1º ano do Fundamental sete vezes. Por duas vezes, ela começou a estudar pelo antigo Movimento Brasileiro de Alfabetização (MOBRAL), mas só aprendeu a escrever o próprio nome. Como sempre trabalhou como doméstica ou diarista, não teve mais chance de voltar à escola. A oportunidade só surgiu em 2011, aos 61 anos, quando conheceu o EJA. Hoje, ela já cursa o Módulo 3; seu grande sonho é concluir o Ensino Médio e ter um diploma.
 
Papo de mãe recebe a coordenadora geral do Centro Integrado de Educação de Jovens Adultos (CIEJA) do Campo Limpo, Êda Luiz; a diretora do Centro de Educação de Jovens Adultos (CEEJA), Adriana de Oliveira; a psicodramatista Rosane Rodrigues; e a gerente de projetos da ONG Alfabetização Solidária (ALFASOL), Rosa Martins.
 
A reportagem de Fernanda de Luca apresenta a história da Maria, que se formou no ensino médio somente depois de adulta e hoje, aos 63, está na faculdade de Pedagogia. E a repórter Letícia Bragaglia ouve a opinião das pessoas nas ruas da capital paulista.

 
Apresentação: Mariana Kotscho e Roberta Manreza
Pauta: Fernanda De Luca e Juliana Belluomini
Reportagens: Fernanda De Luca e Marcelo Zanini 
Edição: Maikel Paroneto  
Internet: Clarissa Meyer 
Produção: Papo de Mãe Produções
 




Ultimas

O que vem por aí