Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Esportes radicais inclusivos

Programa Especial mostra como pessoas com deficiência praticam

Programa Especial

No AR em 01/02/2015 - 08:30

Juliana Santos em um dia de treino no morro da Urca.
Raphael Nishimura demonstra sua técnica na paraescalada.Em São Paulo, o repórter Zé Luiz Pacheco conheceu o Wind Up Free Fall Simulator, túnel de vento que oferece uma experiência similar à de uma queda livre. Além de se aventurar no túnel, Zé também conversou com o responsável pelo projeto, Luciano Tanz sobre a origem do Wind Up.

Raphael Nishimura é campeão brasileiro e vice-campeão mundial de paraescalada ou “paraclimb”. Ele tem distonia muscular e usa cadeira de rodas.  “No campeonato, as vias são montadas de acordo com a deficiência física”, explica Nishimura. “Encontrei na escalada uma forma de divulgar o paraclimb e mostrar que é possível você ter uma deficiência severa e praticar um esporte tão diferente.”

O repórter Zé Luiz Pacheco experimenta uma simulação de queda livre.Juliana Santos adora escalar e tem nanismo. Nossa equipe a acompanhou em um dia de escalada e rapel no morro da Urca. “A escalada me ensinou a vencer o medo, a vencer qualquer coisa que possa querer me atingir. Então, trouxe desafios para eu viver a vida futuramente. Isso é muito importante, porque trago comigo um escudo de vencedora para que eu possa ultrapassar qualquer barreira, qualquer barreira que possa vir”, relata.

 


Apresentação: Juliana Oliveira
Direção: Angela Reiniger
Reportagem: Fernanda Honorato e Zé Luis Pacheco
Produção: Ricardo Petracca

 

 




Ultimas

O que vem por aí