Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Recordar é TV homenageia Nélida Pinõn e Cacá Diegues

Produção recupera entrevista ao programa "Os mágicos" da TVE-RJ

A TV Brasil celebra a vida e a obra de duas personalidades da literatura e da sétima arte do país nesta terça (11), às 22h45. O Recordar é TV resgata do acervo preservado pela emissora pública uma entrevista da escritora Nélida Pinõn e do cineasta Cacá Diegues ao jornalista Araken Távora, no programa "Os mágicos" (1977) produzido pela extinta TVE-RJ.

A relação entre cinema e literatura é antiga: para além das famosas adaptações, as duas linguagens produzem afetos e alimentam o imaginário do público. Os convidados discorrem sobre criatividade, juventude e maturidade, além de comentarem sobre suas obras.

Obra literária de Nélida Piñon

No primeiro bloco, uma das mais importantes vozes da literatura brasileira, Nélida Piñon com o jornalista Araken Távora sobre a diferença entre a sua produção como escritora na juventude e já na maturidade.

A autora afirma estar sempre em mutação e ressalta que seu processo de trabalho evoluiu com o tempo. Ela rememora a adolescência e o impacto das palavras. A entrevista para a TV Educativa aconteceu na época em que Nélida lançava o romance "A força do destino".

Primeira mulher a se tornar presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL), entre 1996 e 1997, Nélida Piñon foi eleita em 27 de julho de 1989 para a cadeira 30 que tem Pardal Mallet como patrono.

A imortal tomou posse em 3 de maio de 1990, recebida por Lêdo Ivo. A escritora é a qual é a quinta ocupante da cadeira. Ela foi precedida pelo filólogo Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira, autor do Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa.

Atualmente, aos 81 anos de idade e cerca de 55 de carreira, Nélida reúne mais de 20 livros publicados em sua obra que combina títulos de romance, memórias, contos, crônicas, ensaios e até literatura infanto-juvenil.

A produção literária da autora foi reconhecida com diversas premiações importantes no país, como o Jabuti, e no exterior como o Prêmio Príncipe de Astúrias, Casa de las Americas e Cátedra Enrique Iglesias.

Refinada filmografia de Cacá Diegues

Crítico refinado e cineasta reconhecido, Cacá Diegues conseguiu fazer o público enxergar com mais clareza a realidade brasileira através de suas lentes. Considerado um dos fundadores do Cinema Novo, o diretor é premiado no país e também tem reconhecimentos no exterior.

Durante a entrevista para Araken Távora, o renomado diretor analisa sua filmografia e relaciona as produções do cinema brasileiro às mudanças do país. O programa apresenta trechos do filme "Chuvas de verão" (1978), obra em produção pelo cineasta na época.

Cacá Diegues também aborda a importância da música na sétima arte. O cineasta fala das parcerias musicais em sua trajetória audiovisual. O convidado ainda revela que queria ser maestro.

O diretor explica como nasce um longa-metragem ao aprofundar o modo de concepção de um filme. Cacá contas que é um processo difícil, mas ele anota as ideias que se transformam numa sinopse. Para exemplificar, ele analisa como realizou obras como o clássico "Xica da Silva" (1976), seu maior sucesso popular.

Ao refletir sobre a matéria prima do cinema, Cacá remete à subjetividade da produção audiovisual. Ele comenta como a sétima arte é capaz de conjugar a afetividade e o imaginário no plano da comunicação.

Com dezenas de filmes em sua filmografia, Diretor de produções elogiadas como "Bye Bye Brasil" (1979), "Tieta do Agreste" (1996), "Orfeu" (1999), "Deus é brasileiro" (2003), "O Maior Amor do Mundo" (2006)  e o recente "O Grande Circo Místico" (2018), Cacá Diegues segue em atividade no cinema brasileiro aos 78 anos.

Sobre a produção e as novas edições

O programa Recordar é TV leva ao telespectador conteúdos que representam momentos importantes da memória da televisão brasileira a partir de material preservado no acervo da emissora pública com os registros feitos na época da TVE do Rio de Janeiro.

Shows, programas de auditório, grandes entrevistas, matérias jornalísticas marcantes, musicais e peças de teledramaturgia serão revisitados em nova roupagem pela atração. O objetivo é tornar esses vídeos de acervo atraentes ao grande público e alvo da curiosidade daqueles que se interessam pela história das mídias como um dos expoentes da cultura nacional.

Para as próximas semanas estão previstas edições sobre personalidades como Walter Avancini e Paulo José, Bráulio Pedroso e Nelson Pereira dos Santos.

Serviço:
Recordar é TV – terça-feira, dia 11/12, às 22h45, na TV Brasil.

Da Gerência de Comunicação Institucional
Empresa Brasil de Comunicação - EBC
Contato: (21) 2117-6471 / (21) 2117-6239

Criado em 07/12/2018 - 18:15 e atualizado em 07/12/2018 - 18:15

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Ultimas

O que vem por aí