Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Samba dos Serenos

A história do samba carioca e as inovações do Cacique de Ramos

Samba na Gamboa

No AR em 12/03/2017 - 06:00

Músicos e compositores, Sereno do Cacique e André Renato revelam peculiaridades sobre seus trabalhos e sobre as composições que fizeram juntos.

Desde cedo, André Renato já sabia que queria fazer do samba a sua profissão. “Conviver com a música desde criança me deixa com mais responsabilidade para realizar meu trabalho”, disse o compositor com mais de 500 canções de sucesso, gravadas por Leci Brandão, Arlindo Cruz, Mumuzinho, entre outros.
Ex-integrante do grupo Do Jeito que eu Gosto, na década de 90, hoje o cantor se dedica à carreira solo. Com participação especial do Grupo Fundo de Quintal em todas as faixas do seu primeiro disco, André conta qual o legado deixado pelo grupo e a importância que seu pai tem na sua carreira artística.

Da esq.: André Renato, Diogo Nogueira e Sereno do Cacique.

Jelsereno de Oliveira, mais conhecido como Sereno do Cacique, relembra a criação do bloco Cacique de Ramos e do grupo Fundo de Quintal. O espaço debaixo da tamarineira se transformou em ponto de encontro de grandes artistas que concederam novos timbres à roda de samba.
Responsável pela criação do tantã, o músico também fez sucesso como compositor e como intérprete. Com parceiros como Noca da Portela e Nei Lopes, suas composições foram gravadas por nomes como Alcione, Elizete Cardoso e por seu próprio grupo, o Fundo de Quintal.
Considerado um ícone do samba, Sereno mantém sua carreira no Fundo de Quintal e compõe com antigos e novos parceiros.

Neste episódio, além das músicas recentes de André Renato, como Tenta a sorte e A mil por hora, há espaço para as tradicionais Cheiro de Saudade e Batucada dos nossos tantãs, do pai, Sereno, que já dizia: “cada show é uma nova emoção.”

Confira também os bastidores da gravação do programa

Apresentação: Diogo Nogueira
Direção: Belisario Franca
Produção: Cláudia Lima

 

 

Ultimas

O que vem por aí