Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Otto relembra trajetória e revela suas influências musicais

Músico pernambucano diz que o sofrimento é motor de sua criação

Este episódio de Segue o Som recebe o cantor, compositor e percussionista pernambucano Otto. Em uma saborosa conversa com o apresentador Maurício Pacheco, o artista fala do entusiasmo juvenil que, mesmo depois de tantos anos de estrada, mantém diante dos desdobramentos de sua carreira. “Tem dias que eu acordo e dou uma vibrada. – Cara, virei cantor! Eu sempre busquei contato com meu público, faço as redes sociais de forma direta”, relata. 

Confira trecho deste episódio aqui

Otto também conta um pouco sobre seu processo de composição, no qual costuma recorrer a passagens literárias, cenas de filmes e situações cotidianas vividas. Ele diz que a inspiração do sofrimento é uma maravilha, tendo sido o principal motor do álbum “Sem Gravidade”, composto durante o divórcio com a atriz Alessandra Negrini. 

Maurício Pacheco e Otto no Segue o Som
Maurício Pacheco e Otto no Segue o Som - Divulgação

Ex-percussionista da primeira formação da Nação Zumbi e do Mundo Livre S/A, com quem gravou os dois primeiros discos, Otto saiu de sua Pernambuco natal em 1989 com 170 reais no bolso para passar dois anos na França, tocando percussão nas ruas e no metrô de Paris. Na volta, depois de uma temporada no Rio de Janeiro, rumou para o Recife, quando conheceu duas pontas de lança do movimento manguebeat: Chico Science e Fred Zero Quatro. 

“Acho que voltei na hora certa, o mundo tava dando uma girada boa, tinha o grunge em Seattle, Kassin aqui no Rio, teve essa geração dos anos 90 que mudou. E em Recife a gente tinha a aldeia da gente e a gente queria ir pro mundo.”

No bate-papo Otto ainda revela suas grandes referências, sobretudo da MPB brasileira, tida por ele como extremamente diversa e rica. Ele cita artistas como Alceu Valença, Belchior, Caetano Veloso, Luiz Gonzaga, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, entre outros.

Tags:  Segue o som Otto

Ultimas

O que vem por aí