Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

tributo ao poeta João Cabral de Melo Neto neste sábado (18/1)

Gravação com autor de "Morte e Vida Severina" de 1977

No mês em que se celebra o centenário do poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto, a TV Brasil homenageia o escritor com uma edição especial do Recordar é TV neste sábado (18), às 20h. Disponível no EBC Play, a produção utiliza o rico acervo preservado pela emissora pública.

Essa edição relembra a vasta obra do autor de "Morte e Vida Severina" (1955) ao resgatar uma entrevista que o homenageado concedeu ao jornalista Araken Távora no programa Os Mágicos, da antiga TV Educativa do Rio de Janeiro, em 1977.

Naquela conversa, o renomado poeta discorreu com maestria sobre temas como o seu processo criativo. João Cabral de Melo Neto resgata o início da carreira e comenta a vida de diplomata fora do país entre outras histórias da sua ampla produção literária.

Trajetória de vida e obra

Natural do Recife, João Cabral de Melo Neto nasceu em 9 de janeiro de 1920. Com sua respeita criação artística, o poeta foi cogitado ao Prêmio Nobel de Literatura na época do falecimento no final dos anos 1990.

Conhecido como o "engenheiro da palavra", ele foi expoente da terceira geração modernista ao lado de personalidades como Clarice Lispector e Guimarães Rosa. O autor se desprendeu da escrita acadêmica e denunciou em versos as injustiças vividas pelos nordestinos.

A poesia era a forma de expressão de João Cabral de Melo Neto, dono de um estilo preciso.  Quando bem queria, o escritor juntava ao conteúdo uma rima seca, mas intencionalmente forte.

Como poeta, o homenageado pela TV Brasil não se furtou de sua responsabilidade social ao desenvolver uma literatura crítica, compromissada com o sentimento de tristeza, misturada a uma certa rebeldia.

O escritor foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras (ABI) em 15 de agosto de 1968. O poeta foi empossado imortal em 6 de maio de 1969 na cadeira 37. Primo do poeta Manuel Bandeira e do sociólogo Gilberto Freyre, João Cabral de Melo Neto morreu aos 79 anos em outubro de 1999, no Rio de Janeiro.

Edições temáticas e homenagens na telinha

O Recordar é TV leva ao telespectador conteúdos que representam momentos importantes da memória da televisão brasileira a partir de material conservado no acervo da emissora pública com os registros feitos na época da TVE do Rio de Janeiro.

Shows, programas de auditório, grandes entrevistas, matérias jornalísticas marcantes, musicais e peças de teledramaturgia serão revisitados em nova roupagem pela atração da TV Brasil.

O objetivo é tornar esses vídeos de acervo atraentes ao grande público e alvo da curiosidade daqueles que se interessam pela história das mídias como um dos expoentes da cultura nacional.

O Recordar é TV também vai ao ar em horário alternativo na programação da TV Brasil, à meia-noite de domingo para segunda-feira. As produções históricas que resgatam o arquivo do canal estão no site que fica no endereço http://tvbrasil.ebc.com.br/recordaretv.

Esses conteúdos raros preservados no vasto acervo da emissora pública ainda podem ser acompanhados no aplicativo EBC Play, disponível nas versões Android, iOS e no site http://play.ebc.com.br.

Serviço:

Recordar é TV – sábado, dia 18/1, às 20h, na TV Brasil
Recordar é TV – domingo, dia 19/1, para segunda-feira, dia 20/1, à meia-noite, na TV Brasil
Recordar é TV – aplicativo EBC Play, disponível para Android, iOS e no site http://play.ebc.com.br

Gerência de Comunicação Institucional
Empresa Brasil de Comunicação - EBC
Contato: (21) 2117-6471 / (21) 2117-6239

Criado em 16/01/2020 - 15:30 e atualizado em 16/01/2020 - 15:30

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí