Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Trilha de Letras conversa com Marcia Tiburi sobre amor

Tiburi destaca que o amor de hoje está circunscrito a limitadores soci

No programa, que vai ao ar às 21h30 de quinta-feira (7), a filósofa analisa até que ponto o amor é algo da natureza ou uma invenção humana.

“O amor entre nós hoje se transformou num certo delírio de exigência. As pessoas ficam doidas para ter alguém que seja o objeto idealizado”, observa a escritora Marcia Tiburi, que é também doutora em filosofia.

Tiburi destaca que o amor de hoje está circunscrito a limitadores sociais. “Todas as nossas relações são mediadas por fatores de classe, de gênero, de sexualidade, de raça, de idade, por vários elementos que configuram preconceitos, aqueles mais arraigados e escondidos”, explica. “Nós amamos dentro das nossas classes sociais, dentro das nossas raças, dentro das nossas circunstâncias. O amor é muito mais histórico. No entanto, a gente idealiza. A idealização é o sentimento.”

Marcia Tiburi é autora de 25 títulos, sendo quatro romances. O mais recente, "Uma fuga perfeita é sem volta" (2016), foi indicado ao Prêmio Rio de Literatura 2017.

No segundo bloco, a jornalista Katy Navarro lê um trecho de "O inventário das coisas ausentes", romance de Carola Saavedra publicado pela editora Companhia das Letras em 2014.

O Trilha de Letras conta com depoimentos da psicanalista Ligia Baruch, do escritor Eduardo Lages – sobre o projeto "Escrevi na Rua", que lhe possibilitou vender cerca de 3 mil exemplares de seu livro em um ano –, e do poeta e escritor Fabrício Carpinejar, segundo o qual "por mais que a gente tenha tecnologia, o amor continua sendo um artesanato."

Serviço:

Trilha de Letras recebe Marcia Tiburi

Quinta-feira, 7 de setembro, às 21h30, na TV Brasil.

Ultimas

O que vem por aí