Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Brasília antes de Brasília

Conheça a história de fundação da capital federal

Caminhos da Reportagem

No AR em 19/04/2020 - 20:00

Como era o Planalto Central antes da construção de Brasília? E como foi a escolha do local exato para a construção da nova capital do Brasil? Em comemoração aos 60 anos de Brasília, o Caminhos da Reportagem conta a história do Distrito Federal – do território à inauguração.

A ocupação na região do Distrito Federal não começou nos anos 1950, com a construção de Brasília. Pesquisas arqueológicas mostram que o ser humano vivia por ali há pelo menos oito mil anos. No Sítio Cachoeirinha, localizado na região do Paranoá, é possível encontrar vestígios, como pedras lascadas. Elas eram manipuladas e usadas como ferramentas. “O homem sempre precisa de condições mínimas, que é dispor de matéria-prima para poder fazer uma ferramenta, de vegetação, de caça e de água”, explica a arqueóloga Carolina de Abreu.

O obelisco, que é a pedra fundamental de Brasília, foi instalado no alto de um morro em Planaltina (DF) no dia 7 de setembro de 1922
O obelisco, que é a pedra fundamental de Brasília, foi instalado no alto de um morro em Planaltina (DF) no dia 7 de setembro de 1922 - Divulgação

Essa edição do programa mostra que a ideia de transferir a capital do litoral para o interior do país é antiga: começou no século 19 com o patriarca da Independência, José Bonifácio, seguido pelo diplomata Francisco Adolfo de Varnhagen. Há relatos também sobre o sonho de Dom Bosco. O padre José Marinoni explica que, em 1883, Dom Bosco ouviu uma voz que dizia: “Quando começarem a explorar esse planalto, vão aparecer riquezas que vocês não imaginam. Surgirá uma nova civilização, correrá leite e mel”. 

Essa série de indicações para a mudança da capital brasileira foi fortalecida com a promulgação da primeira Constituição Republicana, em 1891. No documento, o artigo terceiro definia que um dia a capital deveria deixar o Rio de Janeiro e ser transferida para o Planalto Central. O território indicado pela Constituição foi demarcado durante o longo e criterioso trabalho da Missão Cruls, iniciado em agosto de 1892. Porém, a transferência demorou para acontecer. Segundo a historiadora e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Marieta de Moraes Ferreira, o desafio não era apenas transferir. “Era transferir e construir uma nova capital. Era uma coisa que envolvia sentimentos e emoções do ponto de vista da população brasileira e até da população do interior de Goiás e do Rio de Janeiro”, explica.

Arqueóoga Carolina de Abreu mostra vestígios da ocupação humana no Sítio Cachoeirinha, no DF
Arqueóoga Carolina de Abreu mostra vestígios da ocupação humana no Sítio Cachoeirinha, no DF - Divulgação

Os planos para a transferência foram retomados durante o governo de Juscelino Kubitschek. Em 1956, o arquiteto Lúcio Costa venceu o concurso que escolhia o projeto da nova capital. “Deve ter feito tudo lá, quieto. Um dia me chamou e disse: ‘Vem cá, quero te mostrar uma coisa’. Aí eu fui ver o que ele queria me mostrar. A coisa que ele me mostrou era Brasília”, conta a arquiteta Maria Elisa Costa, filha de Lúcio Costa.

Esplanada dos Ministérios, vista da Torre de TV
Esplanada dos Ministérios, vista da Torre de TV - Divulgação

Com o início da construção de Brasília, um fluxo migratório sem precedentes se dirigiu rumo ao Planalto Central. “Essa ideia que JK lançou de construir a cidade ficou na cabeça de todo mundo. Eram todos eles construtores da nova capital”, afirma o arquiteto Salviano Guimarães. Entre os pioneiros está Raimundo Rodrigues, que saiu de Ipueiras, no Ceará, e enfrentou 14 dias de viagem em um caminhão pau de arara até chegar no local onde eram iniciadas as obras da futura capital do Brasil. “Era só barro, poeira e vento frio. Isso aqui era tão frio que quem não conhece nem acredita”, conta. 

A reportagem ainda conta com a participação de outros pioneiros, como o casal Norma e Corban de Deus, além de Alpheu Tomás Leite. Pessoas que dedicaram parte da vida a Brasília e que agora, 60 anos depois, têm muita história para contar. 

Catedral Metropolitana de Brasília
Catedral Metropolitana de Brasília - Divulgação

Ficha técnica
Reportagem: Carlos Molinari
Produção: Tiago Bittencourt
Apoio à Produção: Cláudia Bojunga (RJ), Natalia Neves (RJ) e Deise Machado (SP) Imagens: André Rodrigo Pacheco e Rogerio Verçoza
Apoio às Imagens: Eusébio Gomes (RJ), Luís Araújo (RJ), João Marco Barboza (SP) e Gilvan Alves (DF)
Auxílio Técnico: Thiago Souza (DF) e Edivan Viana (DF)
Colaboração técnica: Felipe Messina (RJ), Carlos Júnior (RJ), Yuri Freire (RJ) e Ivan Meira (SP)
Edição de texto: Suzana Guimarães
Edição de imagens e finalização: Jerson Portela e Rivaldo Martins
Arte: Julia Costa e Dinho Rodrigues
Agradecimentos: Arquivo Público do Distrito Federal, Banco de Brasília (BRB) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)

Criado em 14/04/2020 - 10:40

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí