Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Réu que quebrou relógio histórico em atos antidemocráticos é julgado

Alexandre de Moraes pede condenação. Réu pode pegar 17 anos de prisão

Repórter Brasil Tarde

No AR em 21/06/2024 - 12:30

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou para condenar a 17 anos de prisão o homem que quebrou um relógio histórico no Palácio do Planalto durante os atos antidemocráticos de 8 de janeiro de 2023. O voto de Moraes foi inserido em uma sessão virtual de julgamento, que deve durar até 28 de junho.

Antônio Cláudio Alves Ferreira foi condenado pelos crimes de abolição violenta do estado democrático de direito, golpe de estado, dano qualificado, deterioração do patrimônio tombado e associação criminosa armada.

De acordo com o processo, Antônio confessou ser ele quem aparece nas imagens, vestido com uma camiseta com o retrato de Jair Bolsonaro, derrubando o relógio e depredando outros itens do Palácio do Planalto. O relógio danificado foi trazido pelo rei Dom João VI ao Brasil em 1808. A peça é do século 17, feita pelo relojoeiro francês Balthasar Martinot.

O ministro Alexandre de Moraes chamou a atenção para a quantidade de fotos e vídeos que havia no celular de Leonardo, feitos por ele mesmo, que comprovam os crimes.

Até agora, o STF já condenou mais de 200 pessoas pelos ataques ao Palácio do Planalto, ao Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal.

Clique aqui para saber como sintonizar a programação da TV Brasil.

Criado em 21/06/2024 - 16:20

Últimas

O que vem por aí