Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Umidade do ar pode ficar abaixo de 12% em Brasília

Repórter Brasil

No AR em 16/09/2021 - 19:00

Estamos a menos de uma semana da primavera, mas parece mesmo é que vamos sair do inverno direto pro verão.

Em alguns lugares, a última frente fria até ajudou a aliviar um pouco o calor e a secura, mas não dura muito tempo. Dois exemplos disso são: Rio de Janeiro e São Paulo.

Na capital carioca, que andou batendo recorde de calor de quase 40 graus esta semana, a passagem da chuva já começou a derrubar as temperaturas. Amanhã, a máxima é de 27 graus. Mas a tendência é voltar a subir no sábado.

Em São Paulo a mesma situação, a semana começou passando dos 34 graus, mas amanhã pode chegar a 15. E olha só aqui, no domingo passa dos 30 de novo. Haja guarda-roupa pra dar conta de tanta mudança!

Já que estamos falando do calorão, vamos ver o tempo na capital de Goiás. O estado registra hoje as maiores temperaturas do país, com máxima acima de 41 graus. E em Goiânia, amanhã pode chegar a 36.

Alerta de tempo muito seco no Distrito Federal, a umidade do ar pode ficar abaixo de 12%, o que é considerado estado de emergência pela defesa civil. Então muito cuidado tanto com a saúde quanto com o risco de incêndios.

Mas nem só de seca vive o Brasil, tem chuva também. Embora ela fique mais restrita no Sul e Norte do país. Sendo mais intensa nessa faixa que vai do Acre até o Maranhão. E pode ter tempestade, acompanhada de vento e granizo, em parte do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Clique aqui para saber como sintonizar a programação da TV Brasil.

Criado em 16/09/2021 - 20:55

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí