Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

TV Brasil exibe comédia "Quem Roubou Meu Samba?", com Ankito, nesta quinta (3/12)

Sessão Cine Retrô diverte o público com clássicos nacionais

Estrelada pelo saudoso humorista Ankito, a comédia musical "Quem Roubou Meu Samba?" (1958) é a atração da faixa Cine Retrô que a TV Brasil apresenta nesta quinta (3), às 22h30, com reexibição às 2h30 da manhã. A trama em preto e branco acompanha as confusões do talentoso compositor Atanásio Cruz (Chuvisco).

Inspirado na peça homônima de Silveira Sampaio, o filme revela as artimanhas do sambista que, insatisfeito com a falta de escrúpulos no mercado fonográfico no país, decide passar a perna em duas gravadoras. Para se vingar dessa indústria, Atanásio vende a mesma música para ambas, mas o artista do subúrbio carioca não entrega a obra e desaparece.

Com direção do cineasta José Carlos Burle e produção de Oswaldo Massaini, o longa traz a participação de diversos sambistas e personalidades carnavalescas da época em seus números musicais. A comédia tem sequências com astros do porte de Angela Maria, Virginia Lane, Trio Irakitan, Marlene e Germano Mathias.

O filme "Quem Roubou Meu Samba?" integra uma seleção de clássicos da sétima arte nacional em cartaz na telinha da emissora pública desde novembro. A sessão Cine Retrô resgata dez sucessos de humor produzidos no país na década de 1950 com o talento de ícones da dramaturgia nacional. As produções trazem nomes como o próprio Ankito, além de Mazzaropi, Chino Anysio, John Herbert e Yoná Magalhães.

Reviravoltas no universo musical

Compositor talentoso, o sambista Atanásio Cruz não se conforma com as maracutaias no mercado fonográfico. Decidido a dar o troco, ele assina contrato com duas gravadoras rivais e some. Os empresários da indústria descobrem a malandragem do artista suburbano e querem resolver a situação e, até, vingança.

Com paradeiro desconhecido, Atanásio tinha vendido o seu samba para o traiçoeiro Tancredo (Humberto Catalano), da gravadora Gravapan, e para Dora Aurora (Maria Vidal), que tem sua própria gravadora e está interessada na cantora Gilda (Darcy Coria) para interpretar a obra.

O atrapalhado detetive Leovegildo (Ankito), amigo de Atanásio, é contratado pela gravadora Aurora para subir o Morro da Navalhada onde o sambista mora e encontra-lo com um gravador para fazer o registro da canção.

O desonesto Tancredo, da Gravapan, envia Secundino (Aurélio Teixeira) e outros capangas para o local atrás do artista. Ele quer trazê-lo até a gravadora para o acerto definitivo do contrato. Na confusão, o compositor é agredido de forma tão violenta que perde a memória. Leovigildo tem a fita que levou destruída por Secundino.

Atanásio é levado para ser atendido no Hospital dos Prontos em que trabalha a enfermeira Iolanda (Nancy Wanderley), namorada de Leovigildo. Enquanto isso, os capangas de Secundino não desistem e raptam o valente sambista do hospital, mas são seguidos pelo detetive.

Leovigildo passa por diversas situações cômicas na tentativa de rememorizar a música e proceder a gravação. O detetive segue os meliantes até o esconderijo e convoca os amigos de Atanásio, liderados por Blequinho, para salvá-lo.

Após a luta, Atanásio é libertado. O músico recobra a memória ao ouvir um taxista assobiar o samba. De volta ao hospital, ele canta a composição para Dona Aurora, com doentes e médicos caindo no samba "Não tem castigo".

Sobre as produções da faixa

Em novembro, a TV Brasil estreou na telinha uma sessão com dez sucessos da comédia nacional no Cine Retrô, semanalmente, às 22h30. A faixa reúne clássicos da sétima arte produzidos no país na década de 1950. São filmes com elenco que traz o talento de astros da dramaturgia nacional como Amácio Mazzaropi, Chino Anysio, John Herbert e Yoná Magalhães, entre outros.

Os destaques são "Depois eu Conto" (1956), "Chico Fumaça" (1957), "Na Corda Bamba" (1957), "Noivo da Girafa" (1957), "O Barbeiro que se vira" (1958), "Camelô da Rua Larga" (1958) e "Dona Xepa" (1959). As primeiras obras exibidas pela emissora pública foram "Alegria de Viver" (1958) e "Eu Sou o Tal" (1960).

Ficha técnica

Ano: 1958. Gênero: comédia musical. Diredor: José Carlos Burles. Produtor: Oswaldo Massaini. Roteirista: José Carlos Burles. Elenco: Ankito, Maria Vidal, Nancy Wanderley, Aurélio Teixeira, Wilson Grey, Francisco Dantas, Chuvisco, Pituca, Darcy Coria, Humberto Catalano. Classificação indicativa: 12 anos. Duração: 82 min. Inédito.

 

Serviço:

Cine Retrô - "Quem Roubou Meu Samba?" – quinta-feira, dia 3/12, às 22h30, na TV Brasil

Cine Retrô - "Quem Roubou Meu Samba?" – quinta, dia 3/12, para sexta-feira, dia 4/12, às 2h30, na TV Brasil

Criado em 02/12/2020 - 09:30 e atualizado em 02/12/2020 - 09:30

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí