Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Fundação Cultural Ema Gordon Klabin

Coleção particular da empresária está aberta à visitação

Conhecendo Museus

No AR em 23/05/2015 - 18:30

O Conhecendo Museus desta semana vai até a Fundação Cultural Ema Gordon Klabin, em São Paulo, para conhecer de perto o requinte da coleção particular dessa carioca filha de lituanos, que deixou um legado cultural ao país. Em seu acervo encontram-se peças que colecionou durante toda a vida, por isso a diversidade é o ponto forte de toda a coleção.

Esculturas japonesas fazem parte do acervo...... assim como a tela Retrato de Dama, de Pompeo BatoniSão cerca de 1500 peças dos mais diversos períodos e técnicas adquiridas ao longo de mais de quatro décadas. Os trabalhos de catalogação do acervo foram iniciados em 1997, três anos após o falecimento de Ema Klabin. Para divulgar o seu acervo, além da visitação pública, a Fundação tem cedido obras para inúmeras exposições no Brasil e na Europa. Entre a coleção estão mobiliário, prataria, arte africana, europeia, brasileira, oriental, antiguidade clássica, fotografias e outros.

Oficialmente registrada em 1978, a Fundação Cultural Ema Gordon Klabin objetiva a promoção e divulgação de atividades de caráter cultural, artístico e científico, além da transformação da residência de Ema Gordon Klabin em museu aberto à visitação pública.

Sobre Ema Gordon Klabin (1907-1994). Foi empresária, mecenas e colecionadora brasileira. Seu pai foi um dos fundadores da indústria de celulose e papelão Klabin. Ema morou em São Paulo e foi educada na Europa, tornando-se admiradora das artes plásticas, óperae música. Demonstrou desde cedo apreço pelo colecionismo, adquirindo serviços de porcelana e prataria, tapetes e objetos de arte oriental.

Após alguns anos, passou a se dedicar à atividade empresarial e às atividades filantrópicas e culturais de São Paulo. De forma semelhante ao que fazia sua irmã Eva, radicada no Rio de Janeiro desde 1933, dedicou-se também a ampliar sua coleção de arte, principalmente com aquisições feitas em suas frequentes viagens à Europa e aos Estados Unidos.

Pensando na continuidade desse trabalho, em 1948, Ema fez um estudo arquitetônico para a construção de uma residência com o objetivo de guardar sua crescente coleção. O projeto escolhido foi o de estilo eclético do engenheiro-arquiteto Alfredo Ernesto Becker, autor de diversas residências no bairro Jardim Europa.

A fachada da casa que abriga a coleção de Ema KlabinA casa não possui um estilo definido, como era comum nas outras residências da época, unindo elementos clássicos, como os arcos plenos nas portas e janelas externas, com elementos modernos, notadamente nos materiais de acabamento utilizados. A decoração ficou a cargo de Terri Della Stuffa, também responsável pela distribuição e adaptação das peças pelos ambientes da casa.

Então, nasce a partir daí a ideia de uma instituição destinada a preservar seu acervo e tornar sua casa um museu aberto à visitação pública. A Fundação Cultural Ema Gordon Klabin abriu suas portas ao público em 2007 e recebe milhares de visitantes anualmente, com intensa programação cultural.

 




Criado em 11/05/2015 - 17:48 e atualizado em 11/05/2015 - 18:19

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí