Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Dona Onete solta a voz no Segue o Som deste sábado

Artista paraense, rainha do carimbó chamegado, abre o coração

A poucos meses de completar 80 anos, em junho, e com lançamento do terceiro álbum da carreira, "Rebujo", previsto para maio, a cantora e compositora paraense Dona Onete é a atração do programa Segue o Som deste sábado (16), às 15h, na TV Brasil.

"Eu consegui furar o bloqueio do Norte que era enorme", orgulha-se a artista no papo com o apresentador Maurício Pacheco. Diva do carimbó chamegado, Dona Onete colocou o ritmo nas pistas de dança pelo país afora. Esta semana, ela coloca na rua o single "Festa do tubarão", antecipando seu mais novo disco.

Histórias da carreira e o surgimento do ritmo repleto de influências são temas da entrevista. "A música do Pará é cheia de mistura. Comecei a fazer essas músicas que falavam de amor num ritmo mais lento e muito sensual. Assim nasceu esse carimbó chamegado", explica sobre o som que combina lundu africano, o ritmo amazônico do carimbó e a sensualidade latina.

Na conversa gravada em Salvador, Dona Onete destaca que sua música já chegou a ser taxada de folclórica e exótica. "Eu fiquei brava", desabafa a artista sobre o rótulo, mas diz que decidiu seguir em frente e aos poucos viu o preconceito diminuir. A diva também comenta o hit "Jamburana", uma das canções de maior sucesso em seu repertório.

A cantora recorda que antes de enveredar profissionalmente pela música, foi professora de História e Estudos Paraenses, além de ter sido secretária municipal de cultura. "O fato de eu ter dado aulas de história e, principalmente, de cultura paraense, me ajudou como compositora. Acabei conhecendo muito nossa terra, e isso tudo acabou caindo dentro da minha música", analisa.

Já depois dos 70 anos de idade, Dona Onete, que até então conduzia a música como um hobby, foi descoberta pelo Coletivo Rádio Cipó, um grupo de pesquisa sonora e visual. "Um dia, eles me ouviram cantando numa festa de carimbó e acharam que era uma mulher jovem. Eles nunca esperavam que fosse uma senhora que cantava, mas eles gostaram do que ouviram e me chamaram pra cantar com eles", lembra a diva do carimbó chamegado.

Dona Onete gravou seu primeiro disco, "Feitiço Caboclo", em 2012, aos 72 anos. Agora, às vésperas de chegar aos 90, a artista está no auge da sua carreira. A paraense colhe os frutos de "Banzeiro" (2016), seu segundo álbum, repleto de boleros, carimbós e bangüês. A cantora e compositora fez turnê pelo país e até shows no exterior.

Sobre o programa

Sob comando dos músicos e pesquisadores Maurício Pacheco e Mariano Marovatto, a quarta temporada do programa Segue o Som da TV Brasil tem 32 episódios de 52 minutos produzidos pela Giros.

O programa trabalha com uma linguagem hipertextual: mescla entrevistas, performances musicais e informações complementares sobrem os temas debatidos, além de abordar as tendências do universo da indústria fonográfica.

Com um bate-papo intimista, a dupla de apresentadores do Segue o Som investiga as relações entre os diferentes movimentos e gêneros musicais na perspectiva da cena artística global.

Serviço
Segue o Som – Dona Onete – sábado, dia 16/2, às 15h, na TV Brasil

Da Gerência de Comunicação Institucional
Empresa Brasil de Comunicação - EBC
Contato: (21) 2117-6471 / (21) 2117-6239

Criado em 14/02/2019 - 15:45 e atualizado em 14/02/2019 - 15:45

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Ultimas

O que vem por aí