Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Tá na Hora de Brincar

Série é exibida durante a faixa TV Brasil Animada

“Tá na Hora de Brincar” é uma série documental composta por 27 interprogramas de dois minutos cada um. Voltada ao público infantil de 3 a 12 anos de idade apresenta brincadeiras tradicionais explicadas e demonstradas por crianças, com a ajuda de um palhaço brincalhão chamado Tananá. As brincadeiras apresentadas são comuns por todo o País e demonstradas na versão da região em que é mais popular. As regras de cada brincadeira são explicadas pelas crianças participantes ou pela narradora. A participação do palhaço Tananá deixa cada brincadeira muito mais divertida.

“Tá na Hora de Brincar” apresenta brincadeiras tradicionais
“Tá na Hora de Brincar” apresenta brincadeiras tradicionais - Divulgação/Framme Produções

Pega-pega
As crianças se encontram e decidem brincar de pega-pega. Uma é escolhida para ser o pegador, enquanto as outras correm para todos os lados. Ao pegar uma das crianças, essa também passa a ser um pegador. Assim, todas passam a perseguir as que ainda não foram pegas. Há também a modalidade “arrastão”, em que a criança que for pega passa a correr de mãos dadas com quem a pegou, entrando no arrastão para pegar as demais. E na modalidade “congela”, o pegador congela a criança que tocar; porém, quem estiver livre pode tocar nela e descongelá-la, devolvendo-a para a brincadeira.

Bobinho
Em um círculo, as crianças decidem brincar de bobinho. Uma delas é escolhida para ficar ao centro, tentando pegar a bola que os colegas passam, chutando uns para os outros. A brincadeira também pode ser jogada com as mãos, e o bobinho tem que pular para evitar que a bola chegue de um para o outro. Aquele que jogar a bola e o bobinho conseguir pegar, passa a ser o novo bobinho.

As crianças se revezam pulando corda
As crianças se revezam pulando corda - Divulgação/Framme Produções

Pula corda
As crianças estão reunidas em um parque, quando uma garota chega com uma corda. Ela começa a brincadeira e logo em seguida mais crianças se revezam pulando corda. Depois, elas decidem pular com uma corda maior, rodada por uma criança em cada ponta, enquanto uma ou mais crianças pulam ao centro. Elas também cantam e executam movimentos exigidos pela canção, como pular em um pé só ou por a mão no chão.

Pega-bandeira
Nesta brincadeira, as crianças se dividem em dois times, que ficam de lados opostos, separados por uma linha. Ao fundo de cada território, colocam uma bandeira. O desafio é conseguir invadir o território da equipe rival e trazer a bandeira para o seu lado, sem ser pego. A criança pega pode ser salva, se um integrante de seu time conseguir chegar até ela. Vence quem levar a bandeira inimiga para o seu território.

Trem Maluco
Nesta brincadeira, as meninas se reúnem em uma praça e brincam em duplas ou trios. Trem Maluco é uma brincadeira que tem uma música bem característica, acompanhada por batidas de mãos entre as crianças que brincam. Quanto mais rápido, mais difícil acompanhar com as batidas de mãos. O Palhaço Tananá se atrapalha todo para conseguir e acaba desistindo, para risada geral das meninas.

Na Amarelinha cada criança lança uma pedrinha nos números e então salta nos demais espaços
Na Amarelinha cada criança lança uma pedrinha nos números e então salta nos demais espaços - Divulgação/Framme Produções

Amarelinha
As crianças chegam correndo e uma delas propõe brincadeira. Elas correm até uma amarelinha que está desenhada na calçada. Uma por vez, cada criança lança uma pedrinha ou um saquinho de areia nos números da amarelinha e então salta nos demais espaços, ora com um pé, ora com dois, na ida e na volta. Em seguida, elas correm para uma amarelinha caracol, onde só é possível brincar pulando em um pé só. Quem pisa na linha ou joga a pedrinha fora do quadrado perde a vez.

Cabra-cega
Reunidas em uma quadra, as crianças decidem brincar de cabra-cega. Uma delas é escolhida para ser vendada e é girada no centro pelas demais. Depois de girar, as crianças se afastam e a cabra-cega grita para elas pararem onde estiverem. Com os olhos vendados, a cabra-cega tenta encontrar as crianças e, ao chegar a uma delas, tenta adivinhar quem é. Se errar, volta para ser cabra-cega de novo; se acertar, a criança encontrada passa a ser a nova cabra-cega.

Sete pecados
Em uma praça, as crianças brincam de sete pecados. Elas ficam juntas e uma das crianças lança uma bola para o alto, gritando o nome de alguém do grupo. Essa criança deve pegar a bola e pedir que os outros parem onde estão. Então, ela dá sete passos até a criança que ela escolher e joga a bola para atingi-la. A criança atingida será a próxima a lançar a bola para o alto e escolher um novo coleguinha para os sete passos. Cada vez que a criança é atingida pela bola, acumula um pecado. A criança que chegar a sete pecados sai da brincadeira.

A criança líder dá ordem para as demais buscarem algum objeto
A criança líder dá ordem para as demais buscarem algum objeto - Divulgação/Framme Produções

Boca de forno
Reunidas no parque, as crianças decidem brincar de boca de forno. Uma delas é o líder e começa a brincadeira, cantando a musiquinha com a ordem para as demais buscarem algum objeto. As outras crianças saem em busca do que foi pedido pelo líder e quem não conseguir ou trouxer o item errado, paga uma prenda. Quem trouxer primeiro o que o líder pedir torna-se o líder da próxima rodada.

Cabo de guerra
O palhaço Tananá reúne as crianças em um parque, separando-as em dois times. Ele pega uma corda grande, marca o meio com um lenço e marca com um cabo de vassoura o ponto exato entre os dois times. As crianças começam a puxar a corda. O palhaço Tananá se reveza em ajudar primeiro um lado e depois o outro e depois deixa somente as crianças brincando. Vence o lado que conseguir puxar o cabo de guerra até trazer a outra equipe inteira para o seu lado.

Dança das cadeiras
Em um parque, as crianças decidem brincar de dança das cadeiras. Elas organizam cadeiras em forma de um círculo, sendo que o número de cadeiras deve ser sempre um a menos que o de participantes. Uma delas canta uma música e para em algum momento, quando as crianças devem sentar. Aquela que ficar sem cadeira sai da brincadeira, levando uma cadeira consigo. Vence quem sentar na última cadeira restante.

O pegador sai para procurar os colegas escondidos
O pegador sai para procurar os colegas escondidos - Divulgação/Framme Produções

Esconde-esconde
As crianças se reúnem em um parque para brincar de esconde-esconde. Uma delas é escolhida para ser o pegador, que conta até 31, num ponto que serve de ronda, enquanto as demais correm e se escondem em vários lugares. Ao terminar de contar, o pegador sai para procurar os colegas escondidos. Ao encontrar cada um deve correr até a ronda e falar o nome do colega encontrado. A primeira criança encontrada passa a ser o pegador na próxima rodada. Se o último a ser encontrado conseguir chegar à ronda antes do pegador, salva a todos e o pegador permanece o mesmo.

Morto-vivo
Em um parque, as crianças decidem brincar de morto-vivo. Uma delas passa a ser o líder e dá ordem para as demais que estão à sua frente. Quando grita “morto”, as crianças agacham; quando grita “vivo”, elas ficam de pé. Quem errar, vai saindo da brincadeira. Vence quem ficar por último.

Bom barquinho
As crianças decidem brincar de bom barquinho. Duas crianças combinam: uma será pera, a outra maçã. Elas formam uma ponte com os braços, sob a qual as demais devem passar em fila. Todos cantam a música do bom barquinho. A dupla que forma a ponte escolhe prender entre os braços uma das crianças da fila. Essa fala no ouvido de uma das crianças da dupla qual fruta escolheu e assim começam a ser formadas filas, atrás do representante de cada fruta escolhida. Após formadas as filas dos dois lados, elas disputam em cabo de guerra para ver quem é o lado mais forte.

Briga de galo
As crianças se juntam para brincar de briga de galo. Uma delas é escolhida para ser o juiz e escreve nomes de frutas e objetos em pequenos pedaços de papel. O juiz escolhe dois jogadores e cola um papel nas costas de cada um. O desafio é descobrir qual palavra está escrita nas costas do outro. Vence quem conseguir ler a palavra nas costas do outro.

Elástico
Nesta brincadeira, brinca-se saltando elásticos que outras duas crianças estão segurando. A cada salto, aumenta-se a altura do elástico para dificultar o próximo nível. Se errar o salto, perde a vez. Vence quem conseguir saltar em todos os níveis.

Crianças decidem quem vai ser a mãe de rua
Crianças decidem quem vai ser a mãe de rua - Divulgação/Framme Produções

Mãe de Rua
Em uma praça, as crianças delimitam o espaço com dois traços, representando duas calçadas e a rua ao centro. Uma delas é escolhida para ser a mãe de rua. Esta dá a ordem para que os demais atravessem a “rua” de alguma forma que dificulte a travessia, podendo ser agachado ou saltando. Quem for pego ajuda a mãe de rua a pegar o restante. A rodada termina quando todos forem pegos. A primeira a ser capturada será a próxima mãe de rua.

Pipa
Em um parque bem espaçoso, as crianças brincam de pipa. Elas trazem uma pipa feita em casa ou comprada em loja. O objetivo da brincadeira é manter as pipas no ar, puxando a linha contra o vento. Pode-se fazer competição de pipas e todo mundo pode brincar. 

Batata Quente
Nesta brincadeira, as crianças formam uma roda e passam uma bola de mão em mão. Uma delas fica de fora e, sem olhar para o grupo, grita “queimou”. A criança que estiver com a bola na mão nessa hora sai da brincadeira. Vence quem restar sem ser queimada pela batata quente.

Taco
Esta brincadeira é jogada com duas duplas, sendo que de cada lado do campo há um arremessador e um rebatedor. Ao fundo de cada campo, há uma garrafa PET vazia. O objetivo dos arremessadores é derrubar a garrafa com uma bola. O objetivo dos rebatedores é tanto evitar que acertem a garrafa, quanto rebater a bola para bem distante, usando seus tacos. Cada bola acertada na garrafa também vale um ponto. Ganha quem fizer cinco pontos, em primeiro lugar.

Cada episódio mostra a brincadeira típica de uma região do país
Cada episódio mostra a brincadeira típica de uma região do país - Divulgação/Framme Produções

Roda
Em um parque, as crianças brincam de roda, dando-se as mãos e cantando muitas cantigas de roda. Nesta brincadeira há sempre uma canção que dita o que as crianças devem fazer. Há muitas variações e todas são bem divertidas. Esta brincadeira também pode ser simplesmente para as crianças cantarem juntas.

Mímica
As crianças decidem brincar de mímica. Quem fica à frente do grupo faz a mímica, para que o restante adivinhe. Pode ser um filme, uma profissão, um objeto ou um personagem, por exemplo. Quem adivinhar vai para à frente do grupo, para fazer novas mímicas.

Queimada
Em uma praça, as crianças formam dois times, separados por uma linha no chão. Com uma bola, jogadores de um lado tentam acertar a bola em alguém do outro lado. Quem for queimado vai para o fundo do lado inimigo e espera no “cemitério”. Porém, os queimados do “cemitério” também podem participar do jogo se o seu time conseguir passar a bola para eles, podendo queimar alguém do time rival mais de perto. Ganha o time que conseguir queimar todos os integrantes do time rival.

Corre Cutia
Nesta brincadeira, as crianças formam um círculo, sentadas no chão. Uma delas é escolhida para ser a cutia e correr do lado de fora do círculo com algum objeto, que pode ser um lenço. As crianças do círculo cantam a canção da brincadeira, enquanto a cutia corre e põe o lenço atrás de uma delas. Quando a música acaba, elas olham atrás de si e aquela com o lenço deve correr atrás da cutia, que tenta fugir e sentar no lugar deixado pela criança do lenço.

Pedrinhas
Em uma praça, as meninas decidem brincar de pedrinhas, uma brincadeira de adivinhação que é ótima para exercitar cálculos matemáticos. Cada criança tem três pedrinhas. Elas escondem as mãos nas costas, escolhem uma quantidade de pedrinhas e as colocam na mão, que ficará à frente do corpo. Cada uma diz quanto acha que vai dar a soma de todas as pedrinhas apresentadas.

O palhaço Tananá deixa cada brincadeira muito mais divertida
O palhaço Tananá deixa cada brincadeira muito mais divertida - Divulgação/Framme Produções

Passa o anel
Em uma praça, as crianças brincam de passar o anel. Uma delas escolhe outra para ser o adivinho. Depois, a criança passa por todos os colegas, fingindo deixar o anel nas mãos de cada uma delas. O adivinho tenta descobrir nas mãos de quem foi deixado o anel. Se acertar, escolhe o próximo adivinho; se errar, continua sendo o adivinho.

Cai no poço
Em um parque, as crianças se juntam para brincar de cai no poço. Uma delas é vendada e começa a falar os versos da brincadeira, respondidos pelos demais. Ao final das falas, a criança vendada tem de escolher uma das que estão fora, decidindo entre: pera, uva, maçã e salada mista, cada uma representando um gesto como aperto de mão, abraço, beijo no rosto ou todos juntos.

Região: PI - Nordeste
Direção: Alexandre Mello
Empresa produtora: Framme Produções

Criado em 08/02/2019 - 12:00

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Ultimas

O que vem por aí