Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Violência doméstica contra crianças e adolescentes na pandemia

Confinados, jovens sofrem mais com adultos violentos dentro de casa

Sem Censura

No AR em 10/08/2020 - 14:00

No Sem Censura desta segunda-feira (10) recebemos o neuropsicólogo Hugo Monteiro Ferreira, professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Ele conversa conosco sobre a vulnerabilidade de jovens e crianças que são vítimas de violência doméstica em meio a pandemia de covid-19.

Longe dos olhos de todos, explica Monteiro, confinados em casa, meninos e meninas ficam a mercê de adultos violentos, que os usam para descarregar a própria revolta. As análises estão baseadas em uma pesquisa que ouviu mais de 1,6 mil jovens de todo o país. O professor é coordenador do Núcleo do Cuidado Humano da UFRPE e autor do livro Geração do quarto: quando crianças e adolescentes nos ensinam a amar. Na publicação, explica que a violência contra crianças e jovens dentro de casa tende a se agravar durante a quarentena.

Sem Censura desta segunda tem ainda um pouco de música. Entrevistamos o vocalista do grupo Maneva, Thales de Polli, que dá detalhes do projeto Tudo Vira Reggae. Nele, a banda paulista regrava, em ritmo de reggae, sucessos de nomes como Chitãozinho e Xororó, Raul Seixas e Alceu Valença.

Confira ainda nesta edição todas as informações atualizadas ao vivo sobre a pandemia com jornalistas do Rio de Janeiro, de Brasília e de São Paulo.

Você pode participar usando #semcensura no Twitter. A sua mensagem pode ser lida ao vivo.

Pesquisa da UFRPE revela que menores de idade estão mais vulneráveis e sensíveis por causa da pandemia
Pesquisa da UFRPE revela que menores de idade estão mais vulneráveis e sensíveis por causa da pandemia - Photo by Ketut Subiyanto from Pexels

Criado em 10/08/2020 - 11:10

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí