Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Amazônia Legal revela potencial econômico da castanha do Brasil

Produto gera renda e promove qualidade de vida dos povos locais

Produzida em larga escala no Acre, a castanha do Brasil é a protagonista do décimo episódio da série Amazônia Legal. A produção independente vai ao ar pela TV Brasil à meia-noite desta quinta (10) para sexta (11).

Abundantes na natureza e com grande potencial para gerar renda e assegurar melhores condições de vida para os povos da Amazônia, os produtos florestais não madeireiros têm ganhado visibilidade na pauta da conservação da biodiversidade. É o caso da castanha do Brasil.

O documentário mostra que das sementes obtêm-se as amêndoas, ricas em proteínas e selênio, e também o óleo, utilizado tanto na fabricação de produtos comestíveis quanto em cosméticos.

Entre os destaques que o programa dá aos benefícios dessa cadeia produtiva está a melhoria da qualidade de vida dos seringueiros, em uma região marcada pelo conflito histórico entre agroextrativistas e latifundiários pela posse da terra.

Resultado da luta social e ambiental, o arranjo produtivo da castanha prova que a gestão transparente e compartilhada via cooperativismo ou associativismo é um caminho para atender os anseios de quem retira da floresta o seu sustento.

Sobre a produção

Iniciativas inovadoras sobre desenvolvimento sustentável são o mote da série independente Amazônia Legal, produção documental inédita em rede nacional que a TV Brasil apresenta toda quinta-feira, à meia-noite, com horário alternativo aos domingos, às 23h.

Apresentada pelo engenheiro agrônomo e documentarista Ramom Morato, a produção percorre mais de 21 mil quilômetros por terra, céu e água no território da Amazônia Legal a procura de projetos que fortaleçam as cadeias da sociobiodiversidade.

Em busca de arranjos produtivos locais que estão dando certo, o apresentador conhece iniciativas que apontam caminhos para o desenvolvimento sustentável da região. Ele viaja por estados como Amazonas, Acre, Pará, Tocantins e Maranhão ao visitar rincões da maior floresta tropical do mundo.

Em 13 episódios de 26 minutos, a obra revela as novas formas que o homem tem encontrado para sobreviver e se relacionar com o meio ambiente. A atração investiga o contexto do processo produtivo de insumos como açaí, castanha, guaraná, borracha e diversos outros itens típicos da biodiversidade.

Amazônia Legal tem direção e roteiro do jornalista Welder Alves, profissional que já realizou três temporadas do programa "Nova Amazônia" e também fez a série "Meu Pequeno Mundo". Desenvolvida pela Amazônia Vídeo Produções, a produção é conduzida pelo engenheiro agrônomo Ramom Morato que estreia na telinha logo na função de apresentador.

A obra é um dos conteúdos audiovisuais independentes que foram selecionados pela chamada pública do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), através da segunda edição do Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Audiovisual (Prodav/TVs Públicas). Apoiadora das produções independentes, a TV Brasil é a emissora que mais exibe esse conteúdo nacional em sinal aberto.

Serviço:
Amazônia Legal – quinta-feira, dia 10/10, para sexta-feira, dia 11/10, à meia-noite na TV Brasil
Amazônia Legal – domingo, dia 13/10, às 23h, na TV Brasil

Da Gerência de Comunicação Institucional
Empresa Brasil de Comunicação - EBC
Contato: (21) 2117-6471 / (21) 2117-6239

Criado em 08/10/2019 - 17:15 e atualizado em 08/10/2019 - 17:15

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí