Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Programa Especial aborda a moda inclusiva

Reportagem visita o projeto Vem Inclusão

A moda inclusiva é o assunto do Programa Especial deste sábado (14), ao meio-dia, na TV Brasil. A apresentadora Juliana Oliveira recebe convidados especiais para um debate no estúdio enquanto a repórter Fernanda Honorato visita o projeto Vem Inclusão e entrevista uma das idealizadoras da iniciativa, Karina Carvalho.

No estúdio do Programa Especial, o bate-papo sobre a inclusão na moda conta com a participação de Caio Salgado, modelo que tem síndrome de Down; Rebeca Costa, estudante de direito, criadora do blog "Look Little"', que tem nanismo; e Luana Cavalcante, estilista, dona da marca de moda inclusiva "Sweet Angels", que tem paralisia cerebral.

A designer analisa o que considera ser moda inclusiva. "Olhando pelo lado técnico, é um segmento dentro do ramo da moda que visa trazer praticidade e funcionalidade. Mas, para mim, é um meio de representatividade em um mercado que é tão marcado de esteriótipos".

Fernanda Honorato conversa com alguns dos participantes do Projeto Vem Inclusão. A idealizadora do trabalho, Karina Carvalho, explica como surgiu essa iniciativa que prepara pessoas com deficiência para serem modelos.

"O projeto surgiu em Goiás, em 2007, na cidade de Goiânia. Eu comecei com a Iones Alonso, de Goiânia, com a deficiência física, e, no decorrer do tempo, comecei a trabalhar com outras categorias, a auditiva, a visual, a intelectual", destaca.

Karina também fala sobre os objetivos da ação. "Trabalho com isso em função de resgate de estima. Percebi que é possível ter no mercado da moda, seja da arte, a possibilidade de envolver pessoas que têm algum tipo de deficiência desfilando com outras pessoas, também, que não têm, não só movimento de passarela, mas editorial, presença VIP em lojas", explica.

O Programa Especial também apresenta uma entrevista com o paratleta Fábio da Silva Bordignon que conquistou duas medalhas paralímipicas nos Jogos Rio 2016, na modalidade atletismo. ''Medalhar, na sua casa, assim, é uma coisa inexplicável, perto da família, uma motivação a mais, o calor da torcida. Foi tudo muito importante para as duas conquistas que eu tive. Hoje, eu já penso no alto do pódio, em realizar esse sonho de ser o medalhista de ouro nas Paralimpíadas de Tóquio, e, já nesse Mundial de 2019, ser campeão mundial".

Serviço
Programa Especial – sábado (14), ao meio-dia, na TV Brasil

Ultimas

O que vem por aí