Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Maestros convidados – parte 3

Programa apresenta alguns dos nomes internacionais que atuaram na

A Grande Música

No AR em 16/02/2014 - 07:30

A presença de maestros de vários países à frente das orquestras brasileiras é um fator de enriquecimento e intercâmbio cultural para ambos. Os músicos exercitam a capacidade de lidar com conceitos e estilos diferentes, observam como cada um trabalha com a orquestra e os ensaios, se familiarizam com a cultura que formou cada regente. A Grande Música continua com a série sobre maestro e, nesta edição, apresenta alguns dos nomes internacionais que atuaram como convidados da Orquestra Petrobras Sinfônica.

José Guadalupe Flores é mais do que um convidado. Amigo do fundador da Orquestra Petrobras, aceitou assumir a direção artística quando Armando Prazeres faleceu inesperadamente. Graças a este gesto, a orquestra teve como se reformular e garantir sua continuidade. Esta ligação afetiva se renova periodicamente com convites para novos concertos:

  • M. de Falla - Sombreiro de Três Pontas - Orquestra Petrobras Sinfônica, regente: José Guadalupe Flores


O Encontro Internacional de Violoncelos oferece também o intercâmbio com regentes convidados do próprio RICE. São maestros que ministram masterclasses e atuam na preparação de concertos com estudantes que participam do evento. Richard Markson foi um dos convidados que cativou a todos por seu carisma e por sua capacidade de integrar os solistas com os músicos jovens da Orquestra Escola da Orquestra Petrobras Sinfônica:

  • A. Vivaldi - Concerto para dois violoncelos e orquestra - Diego Carneiro e Mateus Ceccato, violoncelos solo; Orquestra Petrobras Sinfônica, regente: Richard Markson.

O maestro búlgaro Emil Tabakov é mais um dos maestros convidados da Orquestra Petrobras Sinfônica. Em seu repertório, trouxe obras de compositores da Europa Oriental, como Rimsky-Korsakov. Sheherazade, a mulher que encantou o sultão contando histórias por 1001 noites, é obra de referência para as grandes orquestras. É representada pelo violino solista, que antecede as histórias musicais, como na primeira parte da obra:

  • N. Rimsky-Korsakov - Sheherazade, Suite Sinfônica Op. 35, "O Mar e o Navio de Simbad" - Orquestra Petrobras Sinfônica, regente: Emil Tabakov.

De modo geral, maestros convidados apresentam em seus concertos obras que são marca de seu repertório. Quando regem em outros países, muitas vezes incluem obras formadoras de sua cultura de origem. Neste programa, uma mostra da escolha de mais um regente internacional: Hubert Soudant e a Sinfonia Fantástica de Berlioz.

  • H. Berlioz - Sinfonia Fantástica, Opus 14, "Um Baile" - Orquestra Petrobras Sinfônica, regente: Hubert Soudant.

O úlitmo nome do programa é um compositor que marcou a vanguarda musical do século XX. Krzystoff Penderecki veio para reger pessoalmente suas próprias obras. Resgata uma prática original, em que os compositores eram os maestros, mestres que conduziam as orquestras na interpretação de suas partituras. Hoje, ele está entre os que se alternam com os regentes em ocasiões como esta registrada por A Grande Música:

  • K. Penderecki - "Agnus Dei" - Orquestra Petrobras Sinfônica, regente: Krysztof Penderecki.


 

 




Direção geral, apresentação e roteiro: José Schiller

Direção e edição: Gustavo Borjalo

Produção-executiva: Cristina Maluhy

 

Criado em 16/03/2012 - 03:00 e atualizado em 14/03/2013 - 16:50

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí