Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Diálogo Brasil debate eleições ao vivo

Edição especial do programa recebe Débora Messemberg e Leandro Gabiati

Diálogo Brasil

No AR em 08/10/2018 - 22:15

A professora de sociologia política da Universidade de Brasília (UnB), Débora Messenberg, considera o momento atual do país “um dos mais complexos da recente democracia brasileira”. Ela e o cientista político e consultor de relações governamentais Leandro Gabiati, argentino radicado em Brasília, foram os convidados do primeiro episódio do Diálogo Brasil depois do primeiro turno das eleições, transmitido ao vivo na segunda-feira, no qual fazem uma análise do novo cenário político brasileiro.

“Estamos vivendo no país, dentro dessa ordem e dessa onda conservadora, elementos que questionam princípios fundamentais da democracia: a liberdade, a igualdade, a defesa das minorias”, aponta Messenberg. “Não há uma memória do passado brasileiro”, acrescenta Gabiati. Ele observa que isso se deve, em parte, ao fato de a maioria do eleitorado pertencer a uma faixa etária relativamente jovem. Mas também observa que “surpreende muito como a memória é apagada no Brasil”. Segundo o argentino, outra questão é que, desde a ditadura de 1964, “não se superou a questão das liberdades”.

Para a professora da UnB, “o mais preocupante e o mais dramático” é que, mais do que uma polarização entre direita e esquerda, os dois candidatos na disputa presidencial, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), representam projetos democráticos diferentes. “A democracia, na verdade, ela envolve princípios, ela envolve valores, ela envolve práticas” e há na campanha um questionamento de direitos básicos, “conquistas difíceis do mundo ocidental”. Segundo Messenberg, “voltar a uma lógica de armamento, olho por olho, dente por dente, é você voltar antes do Estado moderno”,

O cientista político Leandro Gabiati entende que falta ao Estado brasileiro, “que tem uma matriz do século 20”, a “dinâmica e agilidade” necessárias para dar as respostas adequadas às demandas da sociedade. Segundo ele, isso acaba resultando no apelo a soluções simples. “Os desafios são imensos, a pauta econômica é desafiadora, e a gente não sabe como serão resolvidos”, emenda. Em uma participação por vídeo, o professor de relações internacionais da Universidade Católica de Brasília, Creomar de Souza, avalia que o eleitor buscou a novidade no primeiro turno. Já o cientista político Thiago Vidal, da Consultoria Prospectiva, acha que o voto foi dado “com o coração”.

Com apresentação do jornalista Maranhão Viegas, o programa aborda questões como os temas predominantes nos debates eleitorais, o posicionamento do eleitor, a nova composição das forças políticas no Congresso Nacional, os candidatos que voltam a se enfrentar e o comportamento do eleitorado diante das alternativas postas no segundo turno.

Tags:  eleições2018

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.

Criado em 04/10/2018 - 09:55

Ultimas

O que vem por aí