Menu programa

Diálogo Brasil debate desigualdade de gênero

Segundo Ipea, mulheres ainda trabalham mais e ganham menos

As mulheres brasileiras trabalham mais do que os homens, ganham menos e assumem mais responsabilidades. A desigualdade de gênero e raça, medida por estudos de várias instituições, é o tema do Diálogo Brasil desta edição. O programa entrevista a especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental em exercício no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcela Torres Rezende, e a advogada e ex-secretária de Políticas para a Igualdade Racial do DF Vera Lúcia Santana Araújo.

A pesquisa do Ipea, em parceria com a ONU Mulheres, que teve Marcela Rezende como uma das autoras, revela que as mulheres trabalham, em média, 30 horas mensais a mais do que os homens, somando o trabalho remunerado às tarefas domésticas. Além disso, elas são chefe de família em 40% dos lares, percentual que era de 23% em 1995. Já no trabalho, apenas 21,7% têm cargo de chefia no serviço público e 37% na iniciativa privada. Entre os grandes executivos, no topo da carreira, são 10%. Pior: ganhando ainda menos do que os homens, em torno de 68%, em média. Para a pesquisadora os números são reflexos do preconceito. “A gente pode atribuir a manutenção desse fenômeno ao fato da nossa sociedade estar muito pautada pelo machismo e pelo sexismo. É uma questão cultural, não tem nenhum motivo técnico que justifique mulheres receberem menos que homens”, afirma a representante do Ipea.

Vera e Marcela cobram ação do Estado para o combate à desigualdade. Para a advogada também cabe à sociedade exercer pressão por mudanças. “Ou a sociedade brasileira assume a responsabilidade de pôr um fim a esse fosso que divide o país, e promove a inclusão e promove a igualdade, ou a gente ainda vai ter muitos 'marços' pela frente com uma pauta que não vai muito diferir da que hoje a gente está enfrentando, com números que não vão ser muito distintos dos que hoje a gente se debruça. Essa cultura precisa ser desconstruída”, arremata Vera.

A pesquisadora do Ipea acrescenta que a legislação vigente é insuficiente e a pouca presença feminina no parlamento é uma dificuldade a mais.

Diálogo Brasil vai ao ar às segundas, às 22h, na TV Brasil.