Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Para o ator Alexandre Borges "o humor às vezes está no patético”

Ele dirige o espetáculo “Palhaços”, em cartaz na cidade de São Paulo

Conversa com Roseann Kennedy

No AR em 02/07/2018 - 21:45

Ator e diretor teatral, Alexandre Borges tem 33 anos de carreira. Atualmente está em cartaz no teatro Augusta em São Paulo, onde dirige o espetáculo “Palhaços” com Fioravante Almeida e o eterno Trapalhão Dedé Santana.

A peça “Palhaços” escrita em 1974 pelo paulista Timochenko Wehbi conta a história de um bufão que se encontra com um fã em seu camarim. A partir daí ambos começam a refletir sobre a vida. “É uma peça que toca em coisas fortes”, define o diretor. Para ele, a montagem traz discussões profundas mescladas de humor e drama. “As vezes o ator, o palhaço, perdeu uma mãe, tá sem dinheiro, tá com dor de dente, não tem onde morar, não tem o que comer, não sabe o que vai ser da vida, o que vai ser do futuro e tá ali no palco, no picadeiro, todo dia, alegrando as pessoas, fazendo seu número”.

Roseann Kennedy conversa com o ator Alexandre Borges
Roseann Kennedy conversa com o ator Alexandre Borges - Divulgação/TV Brasil

Em entrevista ao programa Conversa com Roseann Kennedy, Alexandre também fala sobre a sua carreira de diretor teatral e revela: “Eu procuro fazer uma coisa que tem a ver com o meu tempo, com o que a gente tá vivendo agora. Procuro trazer toda a minha criatividade para trazer uma coisa nova. Mas acho que a prioridade é o ator estar se sentindo bem fazendo aquilo”.

Borges também não poupa elogios à interpretação de Dedé Santana. Diz que o octagenário surpreende na interpretação. “É um ator completo, de 81 anos, que canta, dança, sapateia, e tem um pique enorme, uma energia maravilhosa. Uma dramaticidade de vida, um cara vivido intensamente.”

Vencedor do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro pela Direção da peça "Muro de Arrimo", Alexandre Borges já participou de mais de 40 trabalhos na TV e atuou em mais de 30 filmes, mas diz que se sente mesmo à vontade fazendo comédia. Prova disso, foram os papéis que fez na TV, como Cadinho, um marido infiel casado com três mulheres na novela Avenida Brasil e também no cinema, onde interpretou o quarentão Cláudio no filme “Gatão de meia idade”. “Eu sempre gostei de humor. Eu sou filho de pais separados e a televisão sempre foi a minha babá eletrônica.”

"Eu me sinto à vontade fazendo comédia", revela o ator Alexandre Borges
"Eu me sinto à vontade fazendo comédia", revela o ator Alexandre Borges - Divulgação/TV Brasil

O ator diz que os ídolos da sua infância como Jerry Lewis, Charlie Chaplin, o gordo e o magro, Oscarito, Grande Otelo, os trapalhões, Jô Soares e Chico Anysio, lhe serviram de inspiração na carreira. “Vem um pouco da minha essência, da minha personalidade essa coisa da comédia. Eu me sinto à vontade fazendo comédia. É difícil. Mas eu me sinto bem fazendo”. E complementa: “Eu acho que o humor às vezes está no patético.”

Transitando bem entre a comédia e a poesia, Alexandre fala de seus projetos para o futuro e diz que realiza há quase sete anos, o “Poema Bar”, um sarau com leituras dramatizadas de poemas de Vinicius de Moraes e Fernando Pessoa. O espetáculo aclamado no Brasil, Portugal, Alemanha e França é acompanhado pelo pianista português João Vasco e pelas cantoras Sofia Vitória e Mariana de Moraes, neta de Vinicius de Moraes.

O artista que atualmente interpreta o rei Otávio na novela global “Deus salve o Rei”, revela que tem outros projetos na telinha para o início de 2019, quando participará das gravações de Verão 90º, com a direção de Jorge Fernando.

*Excepcionalmente durante a Copa do Mundo na Rússia, o Conversa com Roseann Kennedy será exibido às segundas-feiras, às 21h45.

Ultimas

O que vem por aí