Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Em entrevista, Michel Temer diz o que espera do governo Bolsonaro

Ele acredita que o Congresso não deve criar obstáculos para o governo

Conversa com Roseann Kennedy

No AR em 05/12/2018 - 21:15

Em entrevista ao programa Conversa com Roseann Kennedy Especial, o presidente Michel Temer fez um balanço de sua gestão e disse o que espera do governo de Jair Bolsonaro. Ele acredita que o Congresso não deve criar obstáculos para o novo governo. “O Congresso tem consciência da necessidade do país. Não vai atrapalhar; vai aprovar o que for importante”, disse.

Sobre qual conselho daria para o futuro ocupante do Palácio do Planalto, Temer citou três palavras: humildade, temperança e equilíbrio. “Não que ele não os tenha, acredito que tenha esses atributos, e irá exercê-los. É preciso serenidade para conduzir o país”, afirmou.

O presidente Michel Temer em entrevista
O presidente Michel Temer em entrevista - Divulgação/TV Brasil

Ao falar dos avanços em sua gestão, Temer citou os dois aumentos concedidos, acima da inflação, para o Bolsa Família, falou da reforma trabalhista e da queda da inflação e dos juros. Disse que as medidas econômicas adotadas, como o Teto de Gastos para o governo ajudaram no cumprimento das metas sociais.  Lamentou não ter feito e a simplificação tributária e a reforma da Previdência por falta de tempo e condições.

Sobre a valorização das estatais o presidente disse que entrega as empresas recuperadas para ao próximo governo. Cita como exemplo, a Petrobrás que passou por um período de desmoralização há tempos atrás e completa: “Hoje as pessoas respeitam novamente a Petrobrás que recuperou-se extraordinariamente”.

Para Michel Temer a impopularidade não foi um problema em seu governo, disse que não teve frustrações em seu mandato e que considerou “muito simpático” o movimento nas redes sociais, #FicaTemer, para sua permanência na Presidência. “É uma brincadeira, mas me impressionou o número de visualizações”. Temer avalia que um bom sinal de sua gestão foi o fato de que 13 ministros do seu governo foram chamados para integrar a nova gestão federal e governos estaduais. 

"É preciso serenidade para conduzir o país”, afirmou Temer
"É preciso serenidade para conduzir o país”, afirmou Temer - Divulgação/TV Brasil

Michel Temer também declarou que se sente realizado por ter presidido a Presidência da República. Diz que voltará para São Paulo em janeiro e se dedicará à escrita e que não terá saudades da função. “Intimamente, sinto que desempenhei um bom papel. Não vou sentir saudade. Cada momento é um momento. Não se pode ficar preso ao passado”, finalizou.

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.

Criado em 06/12/2018 - 12:40

Ultimas

O que vem por aí