Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Duos 5

Programa encerra o ciclo sobre os duos na música de concerto

A Grande Música

No AR em 02/02/2013 - 06:30

Aloysio Fagerlande e Luis Carlos JustiA Grande Música deste sábado exibe o quinto e último programa do ciclo sobre os duos na música de concerto traz dois duos de sopros, ambos com a participação do fagote. Todos formados por músicos com experiencia em orquestra e bagagem como cameristas.

Marcelo Bonfim e Elione Medeiros integraram a Orquestra Petrobras Sinfônica. Em Bachianas Brasileiras nº 6 utilizam flauta e fagote. A obra faz parte de um conjunto de nove peças para formações diversas. O maestro Isaac Karabtchevsky apresentou o ciclo completo em temporada à frente da OPES:

H. Villa-Lobos – Bachianas Brasileiras Nº 6; Marcelo Bonfim, flauta; Elione Medeiros, fagote

O segundo duo que o programa apresenta é formado por integrantes do Quinteto Villa-Lobos. Luis Carlos Justi e Aloysio Fagerlande refletem o entrosamento de muitos anos tocando juntos. Para começar, uma obra adaptada para este duo de palhetas duplas. Em seguida uma peça do repertório inglês do século XX:

M. Marais – Les Folies D'Espagne (adaptação de Luis Carlos Justi); Luis Carlos Justi, oboé; Aloysio Fagerlande, fagote}
G. Jacob – Three Little Pieces; Luis Carlos Justi, oboé; Aloysio Fagerlande, fagote

Os concertos de câmara costumam alternar obras para a formação completa com outras que envolvem parte do conjunto. No caso desse programa, duos e peças solo. Francisco Mignone escreveu uma série de pequenas obras para fagote. Muitas delas dedicadas ao próprio Aloysio Fagerlande. Ainda no campo da música brasileira, temos uma obra de Ronaldo Miranda para oboé solo. Oportunidade para oferecer variedade tímbrica e apresentar cada instrumentista isoladamente:

F. Mignone – Apanhei-te meu Fagotinho; Luis Carlos Justi, oboé; Aloysio Fagerlande, fagote

Para fechar A Grande Música com estilo, uma volta a Villa-Lobos. Desta vez com seu duo para oboé e fagote. Uma obra da maturidade do compositor, em nova fase parisiense. A composição reflete a liberdade formal da produção de seus últimos anos. Os três movimentos formam uma espécie de "fantasia-improviso":

H. Villa-Lobos – Duo (1957); Luis Carlos Justi, oboé; Aloysio Fagerlande, fagote




Direção-geral, roteiro e apresentação: José Schiller
Direção e edição: Gustavo Borjalo
Produção-executiva: Cristina Maluhy

Criado em 16/10/2012 - 17:47 e atualizado em 29/01/2013 - 19:49

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas

O que vem por aí