Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Jornalista critica falta de memória sobre o cinema de horror no Brasil

Laura Cánepa destaca as boas produções do gênero na década de 1970

Filmes de terror internacionais geralmente têm forte apelo comercial no Brasil. Já os nacionais enfrentam certa resistência e até preconceito, tanto que há uma falta de memória sobre o cinema de horror no país, como aponta a jornalista Laura Loguercio Cánepa em entrevista ao Mídia ao Foco. 

"O horror brasileiro teve uma importância na década de 1970, que é muito esquecida", lamenta Laura. Ela lembra que atores consagrados como Joana Fomm, Daniel Filho e Dênis Carvalho já estrelaram filmes do gênero, como o "Espelho de Carne". 

"As histórias de horror são clássicos da literatura, do teatro e do cinema. Muitos artistas se interessam por estrelar essas histórias. Inclusive, para eles - como atores - é bastante desafiador", avalia a jornalista, que destaca o papel de Regina Duarte em "Gata velha ainda mia" como um dos melhores da vida da atriz. 

Laura celebra o bom momento que o gênero vive no país, mas faz ponderações. "É um momento singular, mas nem tudo o que está acontecendo agora é a primeira vez na história deste país. Já tinha acontecido outras vezes de você ter grandes atores, orçamentos melhores, cineastas com grandes ambições expressivas, com cenários originais, e buscando compreender a sociedade brasileira através do cinema de horror", explica.

O Midia em Foco mergulha no cinema de horror e terror: confira o episódio completo aqui

Ultimas

O que vem por aí